Como me tornar um influenciador digital em 2017

1 11

Semana passada estava fazendo uma live quando surgiu a dúvida “como me tornar um influenciador digital” e achei que esse seria um bom tema para um post já que eu tenho certeza que muita gente tem essa mesma dúvida.

Aliás tenho feito lives com participações muito especiais e sempre com um conteúdo legal, dá uma olhada:

Mas voltemos ao assunto como posso me tornar um influenciador digital em 2017. Sempre bom lembrar que assim como em outros textos que estou abordando o tema essas são minhas opiniões e não são verdades absolutas nem ditação de regra de gurus. Cada um faz da sua rede social o que quiser e do jeito que quiser.

Mas na minha opinião um influenciador digital não é algo que você possa simplesmente dizer sou um. Para mim isso é um reflexo, um efeito colateral da produção de conteúdo para internet. Digamos que você seja uma pessoa do universo fitness e posta boas dicas, fotos bonitas e bem produzidas e aos poucos as pessoas vão acompanhar seu conteúdo e em alguma instância as pessoas começarão a prestar atenção na sua opinião, nos seus padrões de consumo nas coisas que você gosta e não gosta e aí tchans a coisa acontece.

Então o primeiro insight é pra mim influenciador digital é algo que é uma consequência e não uma causa.

via GIPHY

Mas o que eu posso fazer agora que vá gerar essa consequência lá na frente?

Não tem como falar desse assunto sem falar desse post maravilhoso da Bia Granja: “Como identificar um influenciador digital”. Sério se você quer atuar com criação de conteúdo para a internet você deveria ler esse artigo e suas maravilhosas 45 dicas e aí fazer o pensamento reverso, ou seja, as coisas que você precisa fazer.

O ponto central dessa discussão toda e que está lá no artigo da Bia é que um influenciador precisa influenciar alguém:

Leia também  DM9 reforça posicionamento digital do banco com filme Cara de APP

influência
substantivo feminino
1. ação ou efeito de influir.
2. ação de um agente físico sobre alguém ou alguma coisa, suscitando-lhe modificações.
“a i. do meio sobre o homem”

Vale ainda uma bela reflexão filosófica sobre a etimologia da palavra influência:

Ela vem do Latim INFLUENTIA, de INFLUERE, “correr para”, referindo-se a um líquido, de IN-, “em, para”, mais FLUERE, “correr, fluir, deslizar”.

Mas que vou deixar para outro momento…

Então vamos a outro momento importante dessa discussão que é comunidade.

via GIPHY

Construa sua comunidade

Depois de postar seu conteúdo é bem provável que você vá reunir uma comunidade em torno do seu conteúdo. São pessoas que aos poucos consomem o seu conteúdo e vão se envolvendo com você. Eles vão ali primeiro apenas lendo o conteúdo, vendo as fotos ou vídeos, mas por muito tempo talvez não façam nada. Apenas vejam.

E num determinado momento quando começar a existir uma certa reciprocidade, empatia e relacionamento bam as pessoas vão começar a comentar, curtir e compartilhar seu conteúdo. Elas farão essas interações de uma forma muito próxima e orgânica. É algo que não pode ser forçado e onde muita gente erra.

Pense nos relacionamentos que já teve na sua vida. Amigos, parentes, namoradas, noivos, eles não são assim tão fáceis de conquistar e principalmente de manter. Esse é o x da questão.

É preciso dedicar tempo e atenção para as pessoas e aos poucos elas vão retribuir isso com atenção. Será que o seu conteúdo é relevante e faz realmente diferença na vida das pessoas? É justamente sobre isso que estamos falando.

via GIPHY

Dê a sua opinião

Como as pessoas vão se identificar com você se você não é uma pessoa aberta, se não expõe sua ideia e se não está pronto para o diálogo. E aqui é que muitas pessoas vão derrapar ou não dar conta, porque dar a sua opinião vai implicar muitas vezes em debate, discussão e discordâncias.

Leia também  Marketing digital em 2013 deve ser social, móvel e personalizado

Também vão surgir críticas, opiniões contrárias e haters. Assim tem muita gente que vai parar justamente aqui. É que na verdade na mesma moeda que você vai ter pessoas que discordam de você vai ter pessoas que concordam com a sua ideia é a partir daí que a sua potencial “influência pode acontecer” e vai rolar identificação.

Se você não lida bem com críticas ou tem problemas com ansiedade por conta da publicação de conteúdo esse curso on-line do youPIXHub pode ajudar você: Curso Online: Mindfulness para criadores de conteúdo

Eu tenho falado muito sobre identificação aqui no blog e a questão é essa será que você vai conseguir identificação com as pessoas?

Será que a sua opinião e ideais terão voz e principalmente eco entre as pessoas que acompanham você?

Você também pode ter uma causa. Representar uma minoria, um projeto que reúna a vontade de outras pessoas ou ainda perceber algo na sua comunidade que não está legal. Fazer conteúdo com propósito é algo que definitivamente pode mobilizar pessoas ao seu redor. Qual é a sua vocação? Você tem uma causa para apoiar? Como você pretende mudar o mundo com o seu conteúdo?

Você pode também entreter as pessoas. Num cenário cheio de crise sair um pouco da realidade é fundamental. Então seu conteúdo pode justamente se encaixar ai criando mecanismos para entreter as pessoas e tirá-las da rotina que vivem.

E por fim você pode ajudar as pessoas a resolver problemas. Você já assistiu o GNT? Ele é quase um manual da vida moderna. Então você pode produzir um conteúdo que ajude pessoas em um determinado contexto da vida. Eu mesmo no meu Youtube tenho uma série de vídeos em que eu tento ajudar as pessoas quando elas me pedem, é um projeto novo mas o resultado tem sido bem interessante.

Leia também  Ela cria a ponte entre influenciadores digitais e os grandes veículos de comunicação

Produza conteúdo multiplataforma

Esse é o tópico mais difícil e que me faz admirar sempre produtores de conteúdo. Não dá pra apostar tudo numa só plataforma ou não dá pra guardar todos os ovos num só cesto como diriam nossos avós.

Se você realmente quer ter uma comunidade ativa é preciso produzir conteúdo em várias plataformas: instagram, twitter, facebook, snapchat. Escolha algumas ou todas e publique muito.

Todas as pesquisas sobre influenciadores publicadas o ano passado indicaram que influenciadores digitais publicam muito mais conteúdo que os demais usuários das redes sociais. E claro que precisa ser conteúdo relevantes, também não dá pra publicar só por publicar como muitos fazem.

Então produza muito, mas muito conteúdo.

via GIPHY

Não é sobre o termo ou sobre números mas sobre suas atitudes

No final das contas não basta colocar no cartão de visitas ou no seu perfil Influenciador Digital ou comprar 15 milhões de seguidores. São as suas atitudes que vão transformar você num influenciador digital.

Eu particularmente não gosto do termo, sempre que possível prefiro usar o termo creator. Afinal antes de mais nada eu sou um criador de conteúdo para internet e deixo que as empresas e marcas julguem se eu sou relevante ou não para seus negócios.

Mas como o marketing vive de termos da moda eventualmente eu uso o termo influenciador digital. Ainda sobre definições não existe um manual ou guia definitivo você pode ser um creator, um influenciador, um youtuber ou o nome que quiser, não deixem ditarem essa regra para você.

Mas para que marcas percebam valor no seu trabalho mais importante que o nome que você se dá é a sua atitude e a sua comunidade.

via GIPHY

Ficou com dúvidas, deixe ali nos comentários =)

você pode gostar também Mais do autor

Comenta aí

%d blogueiros gostam disto: