É muito bacana estudar a história das Relações Públicas e de de como ela surgiu. Pode ser considerado o pai das  Relações Públicas, o jornalista Ivy Ledbetter Lee‎ que era à sua época uma espécie de assessor de imprensa da família Rockefeller.

Anos depois os profissionais seja de assessoria de imprensa ou de relações públicas (não vou aqui me deter a essa discussão, ok?) por muito tempo foram responsáveis por se relacionar com a comunidade, com a imprensa, fazer a gestão da crise de marca e preparar cenários.

E aí nessas múltiplas facetas quero me debruçar somente na função do relacionamento com imprensa e stakeholders. Com anos de redação eles eram parte fundamental no ofício de colocar o jornal no ar. Sempre antenados e com boas fontes na mão e também sempre buscando uma notinha aqui outra ali dos seus clientes. É uma dinâmica conturbada e nem sempre amistosa mas de experiência própria posso dizer que na maioria das vezes funciona bem. Eu mesmo tenho orgulho em dizer que tenho assessores que viraram amigos e eles migraram de contas e marcas e eu fui junto com eles.

Mas aí veio a internet e bagunçou tudo e aos poucos a meia dúzia de veículos de comunicação para se relacionar virou uma centena e por fim vieram os influenciadores.

Não sou especialista em Relações Públicas nem formado da área mas me arrisco a dizer que trabalhar com influenciadores é algo inerente da função do RP muito antes do surgimento da internet e me parece que o setor pode estar agora no seu melhor momento – ou pelo menos deveria estar – e quero dar um recado ao colega dessa área: aproveite o momento.

Algumas agências de propaganda em muitas instâncias acabaram ficando focadas em prêmios e compra de mídia. As agências digitais focadas também em compra de mídia e muita gente esqueceu de focar no negócio dos clientes. Vem aí que vez ou outra você verá que que as agências precisam ter um foco mais consultivo. É sério não sou eu que estou falando mas o vice-presidente do LinkedIn para AdAge num artigo traduzido para o Meio e Mensagem.

E nesse meio tempo as assessorias de imprensa acabaram tendo que evoluir para esse modelo mais consultivo. No novo cenário da comunicação ganha não quem anuncia mais, mas quem gera mais conversas, mais diálogos. Foi questão de sobrevivência.

Mas é claro que como em qualquer cenário não é toda empresa que entendeu isso e muitas ainda estão no que podemos dizer no século passado das Assessorias de Imprensa que viraram uma disparadora chique de e-mail com releases.  E também colecionadoras de clippings onde o desempenho é medido por um número que se resume a quantidade de mídias espontânea coletada.

Falando por mim

Desde que comecei o Blog do Armindo já vi tudo nessa área de assessores que sempre me ignoraram por ser blogueiro e por blog não ser “veículo de comunicação”, já vi assessor que toma a decisão simplesmente por uma questão pessoal de gostar ou não gostar de mim e já vi gente muita bacana.

Mas desde o começo deste ano fiz questão de me reunir com todos os assessores que eu percebi terem um trabalho diferente com os produtores digitais. Assessores que entenderam rapidamente a mudança e sacaram que há um mundo de novos oportunidades com os criadores de conteúdo da internet.

E vi neles uma vontade real de apoiar seus clientes nesses momentos e principalmente um entendimento de que os clientes precisam desse apoio para gerar negócios reais. E isso é maravilhoso, não é?

E assim resolvi fazer o contrário e só vou me relacionar com assessorias que de fato se relacionam comigo e que realmente sabem como lidar com o meu blog e principalmente com o meu público. Se a sua marca quiser mídia espontânea no meu Blog provavelmente vai ter que passar por um desses assessores, caso contrário nada feito. E se não quiser paciência, imagino que não seja importante para a sua marca e portanto somos irrelevantes para ambas as partes o que é ótimo.

É um jeito claro de valorizar quem valoriza meu público. E uma segurança de saber que as marcas que estão com a gente são marcas realmente preparadas para diálogos e entendem que o retorno do meu público é imediato e maravilhoso. E que sacaram que qualidade é melhor que quantidade.

Está com problemas de comunicação?

Procure uma assessoria de imprensa, comunicação ou Relações Públicas antes de mais nada, até mesmo de contratar uma agência. Me parece que nos novos desafios da comunicação e com os influenciadores é a melhor solução que o mercado apresenta para que você possa construir novos diálogos com novos consumidores.

E se você não entende porque sua marca ou do seu cliente nunca aparece por aqui no Blog do Armindo tá aí a explicação. Procure profissionais realmente capacitados para os novos cenários da comunicação e que sabem de fato criar pontes com produtores de conteúdo digital. E olha vai por mim eu conheço vários que pensam exatamente como eu.