Fui convidado para participar de uma reportagem sobre o que eu acho das crianças invadindo o youtube seja como assinantes de canais ou como produtoras de conteúdo.

Com o título Você não gosta de mim, mas seu filho gosta (ou: youtubers, a febre), a matéria mostra detalhes desse fenômeno e eu ainda pude dar umas dicas de segurança para que essa atividade seja lúdica e sadia para os pequenos:

Sobre a segurança na web, Armindo aponta que é importante o acompanhamento dos pais, principalmente nos comentários. É importante, afirma ele, não expor a rotina da criança, gravando vídeos em estúdio, por exemplo.