Consumo de vídeos on-line cresce 135% no Brasil em quatro anos

373

O tempo que os brasileiros dedicam para assistir vídeos na web aumentou 135% nos últimos quatro anos, passando de 8,1 horas semanais, em média, em 2014 para 19 horas por semana em 2018. No mesmo período, o tempo gasto com a TV cresceu 13%, passando de 21,9 horas semanais, em média, para 24,8 horas. Essas são algumas das descobertas da quinta edição da pesquisa Video Viewers, sobre os hábitos dos brasileiros ao consumir vídeos, apresentada hoje pelo YouTube.

YouTuber Gabi Luthai Pequeno - Consumo de vídeos on-line cresce 135% no Brasil em quatro anos consumo de vídeos on-line cresce 135% no brasil em quatro anos -  - Consumo de vídeos on-line cresce 135% no Brasil em quatro anos
De acordo com o estudo, realizado pela Provokers, a maior parte (80%) dos entrevistados procura na internet conteúdos que não estão disponíveis na TV, enquanto 47% buscam conteúdos que não puderam assistir no horário de exibição da grade televisiva e 27% buscam aprofundar assuntos que viram em programas da TV.

O estudo também revela que o YouTube é plataforma preferida de 44% das pessoas para consumir vídeos. Além disso, após análise de uma amostra de 8 mil vídeos assistidos pelos brasileiros considerados no estudo, o YouTube foi a plataforma usada para ver 15% deles. O número coloca o YouTube à frente de outras plataformas de vídeo on-line e de canais de TV aberta e paga no Brasil – ficando atrás apenas da TV Globo, somente por 3 pontos percentuais.

Confira outros insights da pesquisa:
● A maioria dos entrevistados continua a usar o smartphone como principal dispositivo para assistir a vídeos na web, mas há espaço para outros dispositivos. No total, 75% declararam usar esses dispositivos, mas o uso de Smart TVs mais que dobrou no último ano;

● A expectativa de crescimento da TV por assinatura no Brasil continua baixa: entre os 43% dos entrevistados que afirmaram não assinar o serviço, 74% disseram não ter intenção de contratar TV paga no futuro;

● O YouTube se mantém como principal destino para vídeos na web: 1 em cada 2 pessoas declaram que encontram tudo o que querem assistir no YouTube. Música, educação e humor estão entre os principais conteúdos buscados na plataforma;

● O brasileiro se reconhece no conteúdo que assiste no YouTube: 7 em cada 10 brasileiros afirmam que o conteúdo disponível no YouTube reflete a realidade ao redor deles e que é o local onde todos podem ter voz.

● As motivações para o consumo de conteúdos em vídeo: A partir do estudo de 8000 vídeos, o levantamento mostrou que Entretenimento, Conhecimento, Conexão e Identidade são os territórios de necessidade que guiam nosso consumo de vídeos.

● YouTube atende nossas principais necessidades. Quando buscam aprender sobre qualquer assunto (conhecimento) ou buscamos temas e pessoas com os quais nos identificamos, YouTube é o destino que os consumidores mais acessam,

Como o estudo foi feito:
● Pesquisa qualitativa on-line em fevereiro e março de 2018 feita pela Box 1824 200 entrevistados na faixa etária entre 14 e 55 anos das classes A, B e C que assistem vídeos on-line e off-line das cidades de Recife (PE), Porto Alegre (RS), Rio de Janeiro e São Paulo

● Pesquisa quantitativa on-line e off-line em julho de 2018: Provokers 3 mil entrevistados na faixa etária entre 14 e 55 anos das classes A, B e C que assistem tanto vídeos on-line como off-line das regiões Sul, Sudeste e Nordeste, representando uma amostra de 127 milhões de pessoas

YouTube impulsiona resultados
No último ano, as conversões em anúncios exibidos em vídeos do YouTube aumentaram mais de cinco vezes no Brasil. O bom desempenho é resultado da tecnologia usada pelo YouTube para conciliar os interesses de usuários e das marcas na plataforma, levando aos melhores resultados em campanhas de publicidade.

De acordo com uma pesquisa realizada neste ano pelo Boston Consulting Group (BCG), 75% dos brasileiros dizem que as chances de interagir com um anúncio são maiores quando está relacionado a um tema interessante para eles. A pesquisa Video Viewers, apresentada hoje, demonstra que o YouTube faz isso: 55% dos entrevistados afirmam que o YouTube mostra anúncios em linha com os vídeos que eles costumam assistir na plataforma. Veja exemplos dos resultados:

● FORD: fazendo uso do alcance massivo de YouTube através de Blasts, estratégia que concentra investimentos num curto período de tempo, tem explorado o potencial tanto em eficiência de investimento como de geração direta de resultados:

○ Só o Blast de lançamento do novo Ka, por exemplo, gerou quase 100 mil visitas às concessionárias em 1 mês;

○ Por ser uma estratégia de impacto em escala, a visibilidade da marca e seus produtos cresce a cada Blast, chegando a impactar mais de 27 milhões de pessoas no YouTube em apenas dois dias;

○ A solução foi criar uma estratégia de Blasts programados ao longo de todo o ano de 2018;

○ Aumento no volume de store visits geradas via Youtube, chegando a custo de R$ 15 por visita, lembrando que o ticket médio da marca está por volta de R$ 50 mil;

○ Estratégia aplicada no Brasil está sendo replicada em outros mercados: a Tailândia já apresentou ótimos resultados de negócio e o México e a Índia já incluíram um Blast para este ano.

● MAGAZINE LUIZA: estratégia para a Copa do Mundo, tanto para trabalhar os atributos da marca como para gerar resultados diretos:

○ 1 milhão de inscritos no canal;
○ 1 milhão de visitas na loja com a campanha Sai Zica;
○ 1 milhão de telas vendidas ao todo na Copa do Mundo.

● CLARO: Como o objetivo de impulsionar vendas em um dos dias mais concorridos do ano,
Dia das mães, o YouTube permitiu uma integração das ações da marca e um acompanhamento completo da jornada de compra do cliente, gerando:
○ 24 milhões de visualizações do vídeo;
○ Aumento das 200% de conversões nas vendas no plano + aparelho;
○ Crescimento de 800% de conversões na venda do aparelho.

● McDONALDS: para a campanha do festival do Cheddar, a marca utilizou todo o potencial de
alcance para ter uma comunicação de massa e, ao mesmo tempo, usando insights para entregar mensagens diferenciadas, gerando:
○ Anúncio com uma taxa de visitas ao site de 35%;
○ Redução do custo em 3,5% por visita ao site;
○ Aumento de 50% de vendas em comparação com o período anterior.

● O BOTICÁRIO: para o projeto “Desejos de Make”, a marca desenvolveu uma plataforma de dicas de maquiagem rápidas para o dia a dia, usando o YouTube tanto como plataforma de conteúdo como de publicidade:
○ 52% das consumidoras que foram impactadas pelos vídeos acabaram comprando
maquiagens de O Boticário.

Receba novidades
Receba toda sexta-feira as principais novidades do Blog.
Você pode cancelar a assinatura a qualquer momento

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.