A sala como uma nova protagonista da casa: o home-entertainment num outro patamar

Assine nossa newsletter

Lembro de um dia chegar perto da TV e falar bem ali no buraquinho para colocar o fone de ouvido: eu queria que a pessoa que estava ali na tela me respondesse. Era o apresentador Silvio Santos no programa Domingo no Parque na década de 80.

Confira todos os textos desse especial

  1. COMO A COVID VAI MUDAR O JEITO QUE MORAMOS?
  2. CONECTIVIDADE E INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL: COMO AS CASAS TOMARÃO DECISÕES SOZINHAS ENQUANTO VIVEMOS NELAS.
  3. A SALA COMO UMA NOVA PROTAGONISTA DA CASA: O HOME-ENTERTAINMENT NUM OUTRO PATAMAR
  4. CASAS COMO MORADIA, LOCAL DE TRABALHO E ESTUDO
  5. CIDADES INTELIGENTES E UM NOVO JEITO DE PENSAR O ESPAÇO PÚBLICO COM O 5G

Desde cedo eu sabia que a TV e as coisas que aconteciam ali dentro eram importantes. Mal sabia o pequeno Armindo que décadas depois eu de fato iria trabalhar ali dentro, mas deixo essa história para outro dia.

Houve um tempo que a TV e a sala tiveram um protagonismo muito grande na casa das pessoas. As TV’s não eram tão acessíveis e demorou até que as casas pudessem ter mais do que um aparelho. Quando isso aconteceu a família dispersou e cada um via seus conteúdos em seus cômodos. Com a vinda dos celulares que rodam vídeos do youtube e serviços de streaming esse espalhamento residencial se consolidou e a sala foi ficando ali só como um espaço de passagem. Não é raro ver projetos de arquitetos que previam uma cadeira muito mais bonita que funcional, uma prateleira cheia de objetos e só.

Cadê a TV que estava aqui? / Image de ErikaWittlieb por Pixabay.

E aí veio a Covid e de uma hora para outra mudou essa realidade. Nenhuma operadora de canais de TV por assinatura ou streaming que entrei em contato atendeu meus pedidos de entrevista mas dados do Kantar Ibope indicavam que na primeira semana do isolamento social a média de telespectadores aumentou em 22%. As lives saíram dos aparelhos de telefone e foram parar nas Smart TVs. Não é raro ver no Instagram pessoas que se arrumam para assistir esse tipo de apresentação musical com a família reunida na sala e até a popstar brasileira Ivete Sangalo escolheu a sala para fazer sua primeira transmissão ao vivo pela internet. De acordo com o site Notícias da TV no dia 8 de abril a artista Marília Mendonça alcançou um pico de visualizações de 3,3 milhões garantindo a liderança nas maiores audiências mundiais da plataforma de vídeo.

Outro segmento que aumentou seus números nesses momentos de isolamento social foi o de games. Tanto dos jogos em si, quanto em quem assiste essas partidas em transmissões ao vivo. A Nimo TV é um serviço que permite que gamers transmitam suas partidas para que sejam assistidas por pessoas que optam por esse tipo de entretenimento. Para entender mais sobre esse aumento eu falei com o Rodrigo Russano Dias, gerente de Marca e PR da empresa. Ele me disse que o acesso ainda se dá muito por celulares e PCs, mas não é difícil imaginar que no futuro essas transmissões migrarão naturalmente para uma Smart TVs que oferece uma qualidade de imagem e som superior para reunir toda família. “O mercado de games vem crescendo a cada ano e o streaming já faz parte desse universo. As pessoas querem acompanhar de perto seus jogadores preferidos, aprender mais sobre os jogos, pegar dicas, gifts, códigos etc. O isolamento social trouxe mais público e acreditamos que isso vá perdurar após a quarentena. Os streamers produzem conteúdos para todas as idades, de diferentes jogos, com os mais diferentes perfis. Pode-se dizer que é um universo muito democrático, que tem espaço para toda família. Só para ilustrar o tamanho do universo dos games, segundo pesquisa da NewZoo, até 2022 a receita gerada pelos games deve atingir US$ 196 bilhões no mundo. No Brasil, segundo os últimos dados divulgados pela Pesquisa Game Brasil (PGB), 73,4% dos brasileiros são adeptos aos jogos eletrônicos, sendo que o mobile representa 83% do mercado.”

A TCL foi pioneira em trazer o comando de voz para o Brasil.

Como podemos observar a TV ganha um novo papel nesse cenário da casa pós Covid e a TCL foi a pioneira em trazer para o Brasil TVs que já têm instaladas internamente o mesmo sistema Android que a maioria das pessoas usa no celular numa versão adaptada para a TV. Assim é possível executar comandos de voz, tais como, pedir para abrir a Netflix, perguntar sobre a lista de compras do supermercado e até ligar ou desligar uma lâmpada ou dispositivo compatível com a Google Assistente. Sim você pode falar com a TV, por enquanto via controle remoto, e ninguém vai achar você louco.

João Paulo Rezende, gerente de Produtos da TCL / Divulgação.

E eu quis saber do João Paulo Rezende, gerente de Produtos da TCL, como eles viram internamente toda essa transformação.  “É com certeza uma mudança cultural que vai acontecer e colocar a TV como centro de entretenimento da casa. Nós acreditamos que as pessoas terão mais entretenimento no lar: você assistir uma live em casa vai se tornar uma coisa perene. A indústria do cinema deve investir em mais lançamentos simultâneos com o streaming então as pessoas vão procurar cada vez mais telas  maiores com som e imagem que apresentem qualidade de cinema.“

Entretenimento em casa ganha protagonismo na casa do futuro. foto: reprodução internet.
Assine nossa newsletter

A visão do João Paulo sobre o entretenimento audiovisual é a mesma de especialistas do setor. “Os cinemas fecharam as portas por meses e não sabemos ainda quais deles irão resistir à quarentena. Eles dependem de público pagante em grande parte”, explicou o  Daniel Grizante, coordenador dos cursos de pós-graduação em Animação e Direção de Arte Audiovisual do Senac SP.

E vai ser preciso propor soluções. Em um cenário no qual tudo voltasse a funcionar normalmente, mas sem vacina ou cura para a Covid-19, 49% dos brasileiros não voltariam ao cinema este ano, segundo levantamento da Opinion Box feito no mês de abril.

Grizante afirma que é muito cedo para falar que a paralisação pode ser o fim desse tipo de entretenimento, mas ele acredita que o retorno será lento e no longo prazo.

E essa valorização da segurança do lar impactou positivamente o mercado de televisores. Novamente o João Paulo da TCL me conta um pouco mais desse cenário. “Quando a gente olha o mercado de TV a gente vê que mesmo com a recessão que sofremos trata-se de um mercado que cresce em relação ao ano passado e pra gente isso foi algo inesperado e estamos conseguindo aumentar nossa presença de mercado.”

O Júlio Seype, engenheiro e proprietário da Seype Engenharia, localizada no Distrito Federal é especialista em projetos de automação residencial e home-cinema. E eu quis saber dele qual tecnologia não pode faltar hoje nesse tipo de projeto. “Quando falamos de imagem, em específico resolução, não podemos deixar de tratar o 4K, ou seja, é a resolução de vídeo 4 vezes maior que a resolução mais alta até o momento o FULL HD. Até o final do ano passado não tínhamos mídias disponíveis que justificassem a incorporação desta resolução nas residências, mas atualmente serviços de streaming em rede como NETFLIX e HULU, redes de TV e jogos eletrônicos como Xbox One X e PS4 Pro já estão produzindo mídias com resolução 4K. Já em se tratando de áudio o grande advento é o Dolby Atmos, que trouxe a imersão sonora em 3D. “

Júlio Seype, engenheiro e proprietário da Seype Engenharia/divulgação.

A TV como uma central de controle da casa do futuro.

Esqueça a TV como um aparelho que serve somente para assistir um programa de entretenimento e pense nela como uma grande tela de controle da casa. O João Paulo Rezende explica um pouco mais desse conceito. “A gente acredita que a TV será um grande hub que irá controlar todos os dispositivos e também  sendo controlada pelos smart speakers, tudo de forma integrada”.

E a multinacional chinesa não pára por aí. Eles me adiantaram que já trabalham com QLED em alguns mercados e devem trazer essa tecnologia para o mercado brasileiro em breve. E um novo recurso irá abrir a possibilidade de usar o Google Assistente sem precisar do controle remoto: bastará só falar para acionar os comandos. A empresa deve trazer também um modelo de TV 8K  e um ar-condicionado que poderá ser controlado pelo celular e, claro, pela TV.

TCL apresentou diversas inovações na CES 2020. foto divulgação.

E podemos esperar que a empresa comercialize no Brasil novos dispositivos para a casa inteligente? “A TCL foi pioneira em adotar Android TV em toda sua linha. A gente já mostrou na CES ( um dos mais importantes eventos do setor e é realizada anualmente em Las Vegas) novas tecnologias como um mini LED cravado no vidro o que deixa o aparelho de TV super fino. Também foram apresentados lá vários dispositivos tais como um espelho que permite ver, por exemplo, um tutorial de maquiagem no youtube no próprio espelho e uma escova de dentes que registra qual foi a qualidade da sua escovação.  Globalmente a TCL a empresa tem um portfólio de diversos produtos e pode ser que a médio prazo essas soluções venham para o Brasil”, finalizou o João Paulo.

Investir em tecnologia acessível para todos é algo muito alinhado com os valores do Blog do Armindo e em breve junto com a TCL teremos um conteúdo exclusivo para quem adora se divertir no sofá.

A casa do futuro também parece que vai ser o local de trabalho e estudo de muita gente e é sobre isso que vamos falar amanhã.

Assine nossa newsletter

Comentários estão fechados.