AMD excede a meta de seis anos para oferecer uma melhoria sem precedentes de 25 vezes na eficiência energética de processadores móveis

A AMD (NASDAQ: AMD) anuncia hoje que excedeu sua meta de 25×20 de 2014 para melhorar a eficiência energética de seus processadores móveis em 25 vezes até 2020. O novo processador móvel AMD Ryzen™ 7 4800H melhora a eficiência energética da medição da linha de base de 2014 em 31.7 vezes[i][1], e oferece desempenho líder[ii][2] e eficiência extraordinária para laptops. Maior eficiência energética leva a benefícios significativos para o usuário, incluindo maior duração da bateria, melhor desempenho, menores custos de energia e menor impacto ambiental.

“Sempre focamos na eficiência energética de nossos processadores, mas em 2014 decidimos colocar ainda mais ênfase nessa capacidade”, disse Mark Papermaster, diretor de tecnologia e vice-presidente executivo de tecnologia e engenharia da AMD. “Nossa equipe de engenharia se uniu ao desafio e traçou um caminho para alcançar nossa meta de eficiência energética 25 vezes maior em 2020. Conseguimos superar nosso objetivo, alcançando uma melhoria de 31.7 vezes, levando a notebooks de jogos e ultrafinos com desempenho incomparável, gráficos e bateria de longa duração. Eu não poderia estar mais orgulhoso de nossas equipes de engenharia e negócios.”

A eficiência energética para processadores é determinada pela quantidade de trabalho realizado por unidade de energia consumida. Para atingir a meta de 25×20, a AMD focou as melhorias no desenvolvimento de uma arquitetura SoC (System on Chip) altamente integrada e eficiente, com recursos aprimorados de gerenciamento de energia em tempo real e otimizações de energia a nível de silício. A AMD reduziu o tempo médio de computação para uma determinada tarefa em 80% de 2014 a 2020, além de obter uma redução de 84% no uso de energia.[iii][3] Isso significa que uma empresa que atualize 50.000 laptops da AMD dos modelos de 2014 para os modelos 2020 obteria cinco vezes mais desempenho computacional e reduziria o consumo de energia associado em laptops em 84%, o que em uma vida útil de três anos representa uma economia de aproximadamente 1.4 milhão de quilowatt /hora de eletricidade e 971,000 kg de emissões de carbono, iguais a 16.000 árvores cultivadas por 10 anos.[iv][4]

Atingir sua meta de eficiência energética de 25×20, além de proporcionar uma experiência mais forte ao usuário, também solidifica ainda mais a liderança da AMD em sustentabilidade. A AMD foi a primeira empresa de semicondutores a ter suas metas de proteção climática, incluindo a 25×20, aprovadas como uma “meta baseada na ciência” pela iniciativa Science Based Targets – considerada agressiva o suficiente para ajudar a mitigar os impactos da computação nas mudanças climáticas.[v][5]

“A administração do nosso planeta pode acompanhar o desenvolvimento de uma poderosa tecnologia e ajudar nossos clientes a atingir seus objetivos”, disse Susan Moore, vice-presidente corporativa de responsabilidade corporativa e assuntos governamentais internacionais da AMD. “As melhorias de eficiência de energia que fizemos em nossos processadores para laptop fazem a diferença no mundo ao nosso redor. Relatar todos os anos publicamente sobre o progresso e, finalmente, alcançar e superar a meta de eficiência energética de 25×20 reflete o compromisso da AMD com a tecnologia sustentável.”

Perspectiva da Indústria

As melhorias de desempenho e o consumo reduzido de energia do processador Ryzen 7 4800H superaram a tendência histórica de eficiência prevista pela Koomey’s Law – um análogo da Lei de Moore que descreve as tendências de melhoria de eficiência energética – em 2x entre 2014 e 2020.[vi][6]

“Seis anos atrás, a AMD se desafiou a melhorar drasticamente a eficiência energética do mundo real de seus processadores móveis”, disse o Dr. Jonathan Koomey, especialista do setor em computação com eficiência energética. “Revisei os dados e posso relatar que a AMD excedeu a meta de 25×20 estabelecida em 2014 por meio de um design aprimorado, otimização superior e um foco semelhante ao laser na eficiência energética. Com um chip 31.7 vezes mais eficiente em termos de energia do que seu antecessor em 2014, a AMD superou em muito os ganhos de eficiência no mundo real o que seria esperado do ritmo tradicional da Lei de Moore, conforme incorporado na Lei de Koomey. ”

“A AMD assumiu uma meta audaciosa e de engenharia pública de melhorar a eficiência de seu processador em 25 vezes, superando amplamente as médias históricas e, ao fazer isso, alcançou uma posição de liderança no setor de processadores móveis”, disse Kevin Krewell, analista principal da TIRIAS Research. “A meta de 25×20 exigia grandes mudanças na arquitetura, design e software, e não dependia apenas dos avanços da tecnologia de processo de silício. Atingir e superar esse objetivo desafiador é uma prova do trabalho árduo que a equipe da AMD colocou em seus produtos e levou a AMD a uma posição de liderança em processadores móveis.”

“O objetivo da AMD de melhorar a eficiência energética de seus processadores para laptop em 25 vezes até este ano pode ter parecido um alvo abstrato e arbitrário quando eles o anunciaram, seis anos atrás “, disse Bob O’Donnell, presidente da TECHnalysis Research. “Mas ao superam essa meta impressionante, está se tornando ainda mais significativo. O menor consumo de energia nunca foi tão importante para o planeta, e a capacidade da empresa de atingir sua meta e, ao mesmo tempo, atingir um forte desempenho do processador, é um excelente reflexo do que uma empresa líder em mercado e focada em engenharia se tornou.”


Comentários estão fechados.

Esse site usa cookie para melhor sua experiência Aceitar Leia mais

Nossa Política de Privacidade.