Andei no Golf GTE: como é andar num carro híbrido?

Assine nossa newsletter



Andei no Golf GTE

Um convite para recarregar a bateria. Foi assim que a Volkswagen me convidou para o Hybrid Experience – um evento para recarregar a bateria e conhecer o primeiro veículo da Volkswagen na região da América Latina que traz um novo conceito de mobilidade elétrica para o Brasil.

O lançamento vem num contexto global de diminuir (e até zerar) veículos que usam combustíveis fósseis. E para entender melhor todas essas inovações no evento eu pude dirigir em primeira mão o Golf GTE e contar para vocês a minha experiência.

Antes da partida foi hora de entender o conceito do Híbrido no Golf GTE
E lá fomos nós para o Guarujá e no caminho já dirigindo o Golf GTE. Você liga usando a chave e pode escolher em qual modo você quer usar o carro. Não tem barulho de ignição então no começo você pode estranhar um pouco para entender se o carro está ligado ou não. Mas nos próximos usos isso fica mais evidente.

E aí é o jeito mais fácil de você entender o conceito híbrido. Ele tem um motor de combustão “normal” desses que a gente já tem nos carros e tem também um elétrico e tem ainda um sistema que aproveita alguns momentos (por exemplo frenagens) para – com a energia gerada pelo carro – recarregar a bateria. Sim ele funciona como um carro normal, como um carregador de si próprio e como um carro 100% elétrico. E como faz para carregar o carro? É só colocar numa tomada 220v. Simples assim. Há também postos de carregamento que serão implantados (falo mais disso abaixo).

Então você pode escolher entre os modos de direção e-mode (100% elétrico), Hybrid (deixa o carro tomar as melhores decisões para você) e ainda um modo que preserva a bateria ou outro que favorece o auto-carregamento. Ele conta também com o modo GTE que deixa o carro mais esportivo.

O painel digital que eu adoro Active Display, o câmbio automático, os sistemas automáticos de ar-condicionado e limpeza de pára-brisas e o sensor que liga o farol de forma automática para você estão todos ali. Depois que você se acostuma com o novo ecossistema digital da VW fica muito fácil aprender o uso de um carro novo.

Assine nossa newsletter

A conectividade do carro é incrível e o painel digital central do meio (normalmente conhecida como central multimídia) ganha uma nova funcionalidade que é a gestão desses modos de uso de motor. No painel dá até pra saber até a redução de emissão de poluentes. Agora é possível trocar as informações da tela fazendo gestos – e isso dá um ar de modernidade ainda maior ao carro. Você passa a mão na frente e ele muda a tela, faz até o barulhinho de passagem de tela.

E então foi a hora de dirigir pra valer na estrada e na cidade
Há alguma diferença na direção quando você está no modo 100% elétrico? De jeito nenhum: não há nada que eu pude sentir que diz para você que está num elétrico. Eu que não entendendo nada de retomada e velocidades de aceleração posso dizer ao leitor que é muito fácil você esquecer que está num elétrico. É um carro “normal” porém muuuuito mais ecológico e econômico.

Mas é no modo híbrido que me parece que está o melhor dos mundos porque você deixa a tecnologia embarcada da Volkswagen decidir o melhor para você em cada momento. Na estrada ou na cidade está lá o carro fazendo a melhor gestão de consumo por você.

Ele tem emissão zero no modo elétrico para rodar até 50 km e autonomia total superior a 900 km com a ajuda do motor a combustão. Se você mora a menos de 50Km do seu trabalho dá pra usar o modo elétrico pra ir e voltar numa boa. Numa viagem você usa os dois.

Eu sou a pessoa mais esquecida do mundo e fiquei pensando o que aconteceria se eu ligasse o modo elétrico e sem querer esquecesse que a bateria está acabando? E não é que os engenheiros da Volks pensaram em pessoas como eu? Quando a bateria estiver acabando o carro migra pro motor a combustão de forma automática e ainda vai recarregando a bateria para quando eu quiser usar o elétrico novamente.

Na hora de carregar o motor elétrico
Você pode carregar o carro de três jeitos: em casa numa tomada convencional de 220v, em totens de carregamento e como você viu, usar a própria movimentação do carro para ir carregando a bateria enquanto você dirige.
Na ida de São Paulo até o Guarujá (pouco menos de 100km com trechos de Serra, estrada plana e cidade) o meu carro economizou 70% de emissão! Que coisa incrível Volkswagen! Eu realmente tive a sensação de contribuir para um meio-ambiente melhor. Imagina quando 100% dos carros forem assim?


Assine meu canal – http://bit.ly/canaldoarmindo
Minhas Playlists: https://www.youtube.com/user/armindoferreira/playlists
#geek #tech #armindo #canaldoarmindo

source

Assine nossa newsletter

Comentários estão fechados.