CINEFEST GATO PRETO

Assine nossa newsletter

O festival de curtas-metragens “Cinefest Gato Preto”, realizado na FATEA – Lorena, está reestruturado e a sua 11° edição foi produzida pela Trapézio Produções Culturais e a Travessia Filmes com o intuito de estimular a produção local e promover a atividade artística no Vale do Paraíba.
Os curadores Bruno Cucio e Victor Fisch analisaram os 681 curtas válidos, dos 1.114 inscritos, vindos de 24 estados brasileiros. Para a mostra competitiva foram selecionados 42 filmes, além de 25 curtas que serão apresentados na mostra infantil/juvenil, 7 na mostra terror, bruxas, suspense e azar e 5 na mostra Latina.
Como patrocínio do Clube 500, apoio cultural Oficinas Culturais, Piesis e Cosacnaify, apoio da Weinekeller, Storytouch, Faculdade Melies de Tocnologia e Hotel Dom Apart e em parceria com a Avesso Sustentabilidade, o XI Cinefest Gato Preto pode alcançar um reconhecimento no meio cinematográfico, atraindo filmes de prestígio. Para Fisch, “a reestruturação do Gato Preto, tinha como objetivo atingir o patamar dos grandes festivais de curtas-metragens do Brasil. O primeiro desafio era alcançar os cineastas e ampliar o número de inscritos. Criamos um plano de divulgação que já se mostrou efetivo nos primeiro dias de abertura das inscrições, quando recebemos um número surpreendente de filmes.”
“São artistas arrojados que de uma forma ou de outra possuem a característica e a vontade de querer dizer algo ao mundo. Que não se conformam com as predeterminações de uma mecânica homogênea e procuram expressar-se com fidelidade no que acreditam ser real. O cinema não é apenas a fresta por onde se entrepassa a alma, ele é essencialmente o ser que vê e que sente por trás do recorte. Cinema é o recorte da alma”; conta Cucio.
O grande diferencial do Cinefest Gato Preto é a forma como dividimos as sessões da mostra competitiva. Apesar de todos os filmes concorrerem a todos os prêmios, as sessões são divididas por área, para enriquecer o debate. Ao total, são oito sessões e debates: arte, roteiro, desenho de som, fotografia, produção, direção, montagem e atuação. Para Victor Fisch, curador, “não significa que consideremos que uma característica seja mais importante do que outra nos filmes selecionados. Fizemos uma divisão pela pluralidade de estilos.”
A edição de 2015 homenageia a atriz Rosi Campos, que se destaca não apenas por seu trabalho no cinema, mas também por seu enorme reconhecimento nos palcos e na televisão. O curador Cucio lembra que “Campos foi a Bruxa Morgana do Castelo Rá-Tim-Bum, Zélia Portela em Babilônia e Cathy na peça Hamlet ao molho picante. Uma diversificada atriz que brilha em todos os campos por onde atua e que agora ficará marcada na história do tapete preto desde festival recebendo essa humilde homenagem perto de sua extensa carreira.”
Haverá também um tributo à obra de Milton Santos, com a exibição de um documentário sobre o cineasta em uma sessão especial. “O retrato do cineasta que luta para realizar seus filmes com o que tem ao alcance das mãos é importante em especial para o Vale do Paraíba, de onde vêm 10% dos filmes selecionados”; ressalta Cucio
O Cinefest Gato Preto entrou definitivamente para o hall dos importantes festivais de curta-metragem do país. O festival recebeu filmes de quase todos os cantos do Brasil, e para Fisch “isso é muito importante! Para encontrar os filmes de qualidade, é preciso garimpar bastante, mas mesmo assim teríamos ótimos e importantes filmes para várias edições do festival. Em um momento que o curta-metragem parece ser um formato ameaçado de extinção, a forte produção feita das mais diversas maneiras e espalhada pelo país, mostra que o curta deve e vai continuar a viver.”
Por fim, com a consultoria da Avesso Sustentabilidade, o Cinefest Gato Preto tem uma preocupação sustentável e vai publicar um relatório com os resultados e aprendizados sobre seu impacto socioambiental, dando um primeiro passo para abrir um debate muito maior sobre a inserção da sustentabilidade no mundo do cinema
Oficina de roteiro
A oficina de roteiro acontece entre o dia 26 e 31 de outubro, com a professora Julia Alquéres. O objetivo dessa oficina é desenvolver um roteiro de curta-metragem e os trabalhos participarão da premiação ao final do festival.
Paralelamente o Cinefest Gato Preto promoverá 8 debates com focos temáticos relativos às sessões da mostra e diferentes oficinas e workshops, assim como uma exposição dos cartazes dos filmes da mostra e um encontro de realizadores do Vale do Paraíba com o intuito de unir e mobilizar a produção cinematográfica local.
(vide programação paralela)
Prêmios
Sessões competitivas:
Melhor Direção de Arte – R$300,00
Melhor Roteiro – R$300,00
Melhor Desenho de Som – R$300,00
Melhor Fotografia – R$300,00
Melhor Direção – R$300,00
Melhor Montagem – R$300,00
Melhor Atuação – R$300,00
Melhor Filme – R$1.000,00
Todos os filmes:
Prêmio do Juri Popular (filme mais bem votado) – R$300,00
Melhor cartaz – R$300,00
Prêmio Melies para melhor animação – curso de animação em 3D
Oficina de roteiro:
Melhor roteiro criado na oficina de roteiro – R$1.000,00
Prêmio StoryTouch para melhor roteiro
Curadores
Victor Fisch
Roteirista, diretor, montador e professor, é mestre em roteiro pela EICTV (Cuba) e sócio da Trapézio Produções Culturais. Escreveu, dirigiu e montou, o curta-metragem “Onde VocêVai?”, que estreou no 43º Festival de Cinema de Brasília, e ganhador do 22º Festival Internacional de Curtas de São Paulo, como melhor filme de diretor estreante em 2011.
É montador dos curtas “Tanatopraxisita” (2012), “Entre Latinhas” (2013). Co-dirigiu o “Auto-documentário I – O encontro” (2008) e as vídeo artes “Lanternas” (2013) e “Arquivo Familiar” (2008). Dá aulas pelas Oficinas Culturais Metropolitanas desde 2013.
Atualmente escreve seu primeiro longa-metragem “Formigas que Voam” com assessoria do roteirista Luís Bolognesi.
Bruno Cucio
Roterista, diretor, professor de cinema. Sócio da Travessia Filmes. Formado pela FAAP, já dirigiu e escreveu diversos vídeos e curtas metragens, como “Um Homem Satisfeito”, que estreou em 2015 no 26º Festival Internacional de Curtas de São Paulo; “Será(?)”, em 2012, vídeo realizado em parceria com o grupo de teatro Caixa de Imagens, e “Até Onde”, em 2014, filme exibido em festivais nacionais e internacionais.
Coordenou o projeto sócio educacional Circuito Cultural de 2010 a 2013. Atualmente ministra aulas de cinema nas escolas Carandá Viva Vida, Oswald de Andrade, AIC, IED, e nas Oficinas Culturais Metropolitanas.
Júri
Keka Reis
Estudou rádio e televisão na UNESP e começou sua carreira na MTV dos
anos 1990, onde escreveu, produziu e dirigiu programas de TV de diferentes tipos e formatos. Atua como roteirista freelancer desde 2006, integra a AC e já escreveu programas de TV, promos e séries para GNT, Nickelodeon, Nat Geo, Sony, Fox, Warner, TV Cultura, Cartoon Network e Gloob. Entre os seus trabalhos, estão as séries “Médicos” (GNT), “Osmar”, “A primeira fatia do pão de forma” (Gloob), “Descolados” (MTV e Band), “Missão Pet” (Nat Geo) e “Plantão do Tas” (Cartoon Network).
William Hinestrosa
Formado em Filosofia. Mestrando em artes visuais na Unicamp, desenvolve sua pesquisa em narrativas de curta-metragem e memória nas obras dos diretores Cláudio Marques e Marília Hughes (BA).
Entre 2005 e 2014 participou da Associação Cultural Kinoforum nas seguintes atividades: coordenador dos programas brasileiros e membro do comitê de seleção do Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo, e coordenador da pesquisa de conteúdo para o Guia Kinoforum de Festivais de Cinema e Vídeo.
Professor na Escola Livre de Cinema de Santo André.
Co-diretor do festival Goiamum Audiovisual, que acontece em Natal/RN.
Renata Druck
Formada em Cinema pela FAAP, atua em diferentes campos e formatos do audiovisual. Em TV, já dirigiu diversos programas, como a série “É a Vovozinha!” (2010) vencedora do pitching Gênero Feminino da TV Brasil. Também se dedica a realização de documentários, como os premiados “Nasceu o Bebê Diabo em São Paulo” (2002) e “Um Rio Invisível” (2009). Atualmente, coordena o programa de fomento ao documentário brasileiro “Histórias que Ficam”.
Serviço
CINEFEST GATO PRETO
Festival – 29/10/2015 até 01/11/2015
Local: FATEA – AvDr Peixoto de Castro, 539

Assine nossa newsletter

Comentários estão fechados.