fbpx

Endemol Shine Brasil e Webedia se unem em reality show global para descobrir novos talentos nos eSports

Tenha atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Assine nossa newsletter

  Endemol  Shine  Brasil e a Webedia Brasil, multinacional digital francesa especializada na indústria de entretenimento, anunciam parceria global  para desenvolvimento  da  nova  versão  do  ULT (Ultimate  Legends Training), reality show que tem o objetivo de revelar novos talentos nos eSports, tanto no Brasil quanto em outros mercado em que o formato venha a ser lançado. 

“O ULT  é  um  formato  com  capacidade  de  expansão  em  todas  as  plataformas  que  distribuem conteúdo, assim como ele pode virar o novo blockbuster dos eSports quando se associam duas companhias líderes nos seus segmentos como a Webedia e a Endemol Shine Brasil”,  explica Ana Lobo, VP Comercial de Branded e Atendimento Endemol Shine Brasil. 

Assine nossa newsletter

Criado pela Webedia, detentora do IGN Brasil e que soma em todos seus sites,  276 milhões de visitantes únicos apenas no Brasil, o formato o ULT (Ultimate Legends Training) teve sua primeira edição em 2018, alcançando mais de 2,4 milhões de visualizações nos 5 episódios, 627 mil horas assistidas e 350 mil pageviews no site oficial. “O sucesso do ULT, impulsionado pelo formato inovador que engaja comunidades de eSports através do entretenimento, entra agora em um novo patamar de produção e distribuição multiplataforma junto com a Endemol. Com o cenário cada vez mais favorável, a nova edição de ULT é uma oportunidade muito especial para marcas não endêmicas criarem conexão com o universo gamer”, afirma Antoine Clauzel, diretor da Webedia Entertainment.  

Para a segunda edição, prevista ainda para este ano, os vencedores do reality terão um contrato assinado por um ano com um time profissional.

O universo do eSports e dos realities

O mercado de eSports faturou globalmente US$ 1,1 bilhão em 2019, de acordo com estudos da consultoria Newzoo, embalados pelo sportainment ou seja, o consumo de eSports com o viés de entretenimento. O fenômeno é semelhante ao que aconteceu com o streaming de games, com a indústria do entretenimento tendo grande protagonismo durante a pandemia do COVID-19. Nesse cenários, os realities shows que são o segmento  mais  comentado  nas  redes  sociais,  segundo  a  pesquisa  Inside  TV,  do Kantar. Segundo a pesquisa “Mediated Voyeurism and the Guilty Pleasure of Consuming Reality Television”, assistir reality shows é uma forma segura e acessível de ter acesso a experiências e informações que, de outra forma, seriam inacessíveis.

Os últimos dados do estudo da Newzoo específicos para a América Latina apontam US$ 31 milhões em 2018, com parcela majoritária vindo do mercado brasileiro onde foi registrada uma audiência de 20 milhões de pessoas. Estes números colocam o Brasil como terceira maior audiência do mundo atrás apenas dos EUA e da China. A pesquisa aponta que os praticantes de jogos eletrônicos em geral são 75 milhões no Brasil contra, por exemplo, 30,4 milhões daqueles que declaram jogar futebol. Desse total de gamers, 62,7% se consideram casual gamers jogando no máximo 3 horas por semana. Mais de 90% prefere jogar em casa e 83% o fazem via mobile.

O consumo de conteúdos relacionados a games e eSports também está crescendo no Brasil, atualmente com 13% da população online interessada na temática. Dessa parcela, 29% declara assistir ou jogar online mais de 20 horas por mês. Desses, 53% têm idades entre 10 e 25 anos. “Podemos perceber que é nessa faixa etária que temos a grande maioria dos POMEs – consumidores quando iniciam a relação com marcas. Essa faixa de público é chave para empresas que querem conquistar as novas gerações“, finaliza Antoine.

Assine nossa newsletter

Tenha atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Esse site usa cookie para melhor sua experiência Aceitar Leia mais