Golf GTE usa tecnologia de ponta para mobilidade elétrica.

Assine nossa newsletter

Um convite para recarregar a bateria. Foi assim que a Volkswagen me convidou para o Hybrid Experience – um evento para recarregar a bateria e conhecer o primeiro veículo da Volkswagen na região da América Latina que traz um novo conceito de mobilidade elétrica para o Brasil.

Além do Golf, a marca passa a oferecer para os clientes as soluções mais eficientes de micromobilidade disponíveis no mundo: bicicleta e patinete elétricos. E com emissão zero.

Sim o leitor não leu por engano além de um carro a Volkswagen está lançando um patinete e uma bicicleta elétricos e investindo agora no conceito de mobilidade last mile (aqueles últimos metros para chegar ao trabalho ou compromisso). Falo mais sobre isso em outro texto.

O lançamento vem num contexto global de diminuir (e até zerar) veículos que usam combustíveis fósseis. E para entender melhor todas essas inovações no evento eu pude dirigir em primeira mão o Golf GTE e contar para vocês a minha experiência.

Mas antes um lembrete o seu amigo geek aqui não manja nada de 
torque de motor ou largura da roda, por exemplo, aqui no Blog eu falo
sobre as inovações tecnológicas e aspectos que podem agradar os leitores geeks.
Para especificações mais técnicas recomendo veículos especializados.
Dito isso vamos em frente.

Antes da partida foi hora de entender o conceito do Híbrido no Golf GTE

E lá fomos nós para o Guarujá e no caminho já dirigindo o Golf GTE. Você liga usando a chave e pode escolher em qual modo você quer usar o carro. Não tem barulho de ignição então no começo você pode estranhar um pouco para entender se o carro está ligado ou não. Mas nos próximos usos isso fica mais evidente.

E aí é o jeito mais fácil de você entender o conceito híbrido. Ele tem um motor de combustão “normal” desses que a gente já tem nos carros e tem também um elétrico e tem ainda um sistema que aproveita alguns momentos (por exemplo frenagens) para – com a energia gerada pelo carro – recarregar a bateria. Sim ele funciona como um carro normal, como um carregador de si próprio e como um carro 100% elétrico. E como faz para carregar o carro? É só colocar numa tomada 220v. Simples assim. Há também postos de carregamento que serão implantados (falo mais disso abaixo).

Então você pode escolher entre os modos de direção e-mode (100% elétrico), Hybrid (deixa o carro tomar as melhores decisões para você) e ainda um modo que preserva a bateria ou outro que favorece o auto-carregamento. Ele conta também com o modo GTE que deixa o carro mais esportivo.

O painel digital que eu adoro Active Display, o câmbio automático, os sistemas automáticos de ar-condicionado e limpeza de pára-brisas e o sensor que liga o farol de forma automática para você estão todos ali. Depois que você se acostuma com o novo ecossistema digital da VW fica muito fácil aprender o uso de um carro novo.

A conectividade do carro é incrível e o painel digital central do meio (normalmente conhecida como central multimídia) ganha uma nova funcionalidade que é a gestão desses modos de uso de motor. No painel dá até pra saber até a redução de emissão de poluentes. Agora é possível trocar as informações da tela fazendo gestos – e isso dá um ar de modernidade ainda maior ao carro. Você passa a mão na frente e ele muda a tela, faz até o barulhinho de passagem de tela.

E então foi a hora de dirigir pra valer na estrada e na cidade

Há alguma diferença na direção quando você está no modo 100% elétrico? De jeito nenhum: não há nada que eu pude sentir que diz para você que está num elétrico. Eu que não entendendo nada de retomada e velocidades de aceleração posso dizer ao leitor que é muito fácil você esquecer que está num elétrico. É um carro “normal” porém muuuuito mais ecológico e econômico.

Mas é no modo híbrido que me parece que está o melhor dos mundos porque você deixa a tecnologia embarcada da Volkswagen decidir o melhor para você em cada momento. Na estrada ou na cidade está lá o carro fazendo a melhor gestão de consumo por você.

Assine nossa newsletter

Ele tem emissão zero no modo elétrico para rodar até 50 km e autonomia total superior a 900 km com a ajuda do motor a combustão. Se você mora a menos de 50Km do seu trabalho dá pra usar o modo elétrico pra ir e voltar numa boa. Numa viagem você usa os dois.

Eu sou a pessoa mais esquecida do mundo e fiquei pensando o que aconteceria se eu ligasse o modo elétrico e sem querer esquecesse que a bateria está acabando? E não é que os engenheiros da Volks pensaram em pessoas como eu? Quando a bateria estiver acabando o carro migra pro motor a combustão de forma automática e ainda vai recarregando a bateria para quando eu quiser usar o elétrico novamente.

Na hora de carregar o motor elétrico

Você pode carregar o carro de três jeitos: em casa numa tomada convencional de 220v, em totens de carregamento e como você viu, usar a própria movimentação do carro para ir carregando a bateria enquanto você dirige.

Na ida de São Paulo até o Guarujá (pouco menos de 100km com trechos de Serra, estrada plana e cidade) o meu carro economizou 70% de emissão! Que coisa incrível Volkswagen! Eu realmente tive a sensação de contribuir para um meio-ambiente melhor. Imagina quando 100% dos carros forem assim?

E chegando no hotel (ou na sua casa, ou na viagem com a família ou amigos) precisa carregar o carro né? Mas como isso funciona? Calma que o seu amigo Geek está aqui para explicar.

No porta-malas tem uma bolsa com um cabo. Então imagine que você chegou na sua casa ou na casa de algum parente. Basta levantar o símbolo da Volkswagen na frente do carro, colocar o cabo lá e ligar a outra ponta numa tomada normal, dessas que todos nós temos em casa. Uma carga completa pode durar cerca de 4 horas.

Mas se você estiver na estrada e quiser carregar? Para isso existem totens específicos de carregamento. No Hotel Jequitimar, onde ficamos, tinha um.

A Volkswagen, juntamente com Audi e Porsche, empresas que fazem parte do Grupo Volkswagen, firmou em outubro uma parceria estratégica com a empresa de energia EDP, para a instalação de 30 novas estações de recarga de veículos elétricos no País. Além da EDP, Audi, Porsche e Volkswagen, o acordo para o desenvolvimento de um ecossistema completo de mobilidade envolve também outras empresas e entidades do setor.

Serão 29 postos de 150kW e um posto de 350kW – capazes de reabastecer a bateria de um carro elétrico rapidamente – e mais 30 equipamentos de 22kW (AC). Assim, cada ponto de recarga terá uma estação ultrarrápida e uma semirrápida. Elas serão instaladas nas rodovias Tamoios, Imigrantes, Carvalho Pinto, Governador Mário Covas, Dom Pedro, Washington Luís e Régis Bittencourt.

Esta rede será interligada a outras já existentes no País, conectando um total de 64 pontos de carregamento, formando um corredor de 2.500 km de extensão, ligando os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Espírito Santo e Santa Catarina (de Vitória a Florianópolis).  

O Golf GTE une o melhor de dois mundos: desempenho esportivo com excelente eficiência energética. Pode ser conduzido no modo totalmente elétrico por cerca de 50 km. Isso atende a demanda de 2/3 da população que vive nos grandes centros urbanos, ou de sete em cada 10 pessoas.

O cliente pode rodar todos os dias sem emitir CO2, sem ruído e gastando muito menos. Para rodar 50 km por dia, é preciso desembolsar apenas R$ 5, de acordo com o preço estimado da energia na região Sudeste.

Hora de carregar a nossa bateria

E depois de tanto conhecimento pudemos aproveitar um pouco da belíssima estrutura do Hotel Jequitimar. Estava um dia um pouco chuvoso mas com piscina aquecida, sauna e até massagem no Spa do hotel não foi nada difícil aproveitar para recarregar a nossa bateria também.

Mais que uma aula sobre uma nova fase da mobilidade urbana no país – e mundo – a Volkswagen me recarregou a mente também, lembrando que a tecnologia pode nos levar para lugares que nem imaginamos ainda e também para um mundo melhor e mais eficiente.

Blog do Armindo esteve na Hybrid Experience a convite da Volkswagen do Brasil e aproveito para agradecer o carinho e o cuidado de sempre comigo e com o leitor.

Assine nossa newsletter

Comentários estão fechados.