Jornalismo de tecnologia, independente e com credibilidade

HPE Spaceborne Computer-2 retorna à Estação Espacial Internacional

A Hewlett Packard Enterprise (NYSE: HPE) anunciou que enviou uma terceira versão do HPE Spaceborne Computer, construído a partir de servidores comerciais prontos para uso (COTS), para a Estação Espacial Internacional (ISS) através de uma missão Northrop Grumman Commercial Resupply Services contratada pela Nasa a bordo de um foguete SpaceX Falcon 9.

ASSINE AGORA! Não saia sem garantir 30 dias GRÁTIS
A Bits & Geeks leva até você matérias completas e material exclusivo do mundo da tecnologia.

Close this popup

O objetivo de enviar o HPE Spaceborne Computer-2 à estação é aproveitar o sucesso anterior do sistema como base para expandir o escopo e a complexidade de processamento em nível de data center e de computação de alto desempenho (HPC) no espaço, incluindo IA e cargas de trabalho de aprendizado de máquina (ML).

Esta configuração do premiado¹ HPE Spaceborne Computer, baseado em servidores HPE Edgeline e ProLiant, foi atualizada com mais de 130 TB de armazenamento baseado em flash da KIOXIA, a maior capacidade de armazenamento já transportada para a estação espacial em uma única missão. Isso inclui quatro SAS Value Series RM KIOXIA 960 GB RM, oito NVMe XG Series de 1.024 GB e quatro SSDs SAS Enterprise PM6 de 30,72 TB. O armazenamento adicional em memória flash tornará possível executar novos tipos de aplicações e realizar pesquisas usando conjuntos de dados maiores² por meio do Laboratório Nacional da ISS.

As melhorias no HPE Spaceborne Computer-2 também incluem um sistema operacional atualizado, software de suporte a voos espaciais da Nasa e novo sistema de segurança. Uma vez a bordo da estação espacial, a saúde e o estado destas tecnologias serão monitorizados diariamente para avaliar o desempenho nas duras condições do espaço.

Avanços na pesquisa na Terra e no espaço
Depois que a instalação do HPE Spaceborne Computer-2 for concluída na estação espacial, o sistema será usado pelos pesquisadores para promover a inovação e economizar tempo. Tradicionalmente, os dados recolhidos no espaço eram recolhidos a bordo de um posto avançado de investigação e enviados à Terra para processamento. Um supercomputador a bordo permite que os dados sejam avaliados em órbita baixa da Terra quase em tempo real, tornando possível alcançar uma redução de 30 mil vezes no tamanho do download³ ao transmitir apenas a saída de dados, ou insights, para a Terra, reduzindo drasticamente os tempos de download.

A pesquisa prevista para o HPE Spaceborne Computer-2 inclui um experimento de aprendizagem federada (FL) que treinará de forma independente modelos de ML e mecanismos de inferência que foram originalmente criados na nuvem. O experimento será realizado em colaboração com provedores de serviços em nuvem, assim como operacionalizados por eles, com a dupla intenção de contribuir para modelos de treinamento de ML usados na Terra e manter um mecanismo de inferência de IA atualizado no espaço.

Comentários estão fechados.

Esse site usa cookie para melhor sua experiência Aceitar