Instituto Claro anuncia projetos vencedores da 9ª edição do concurso de inovação Campus Mobile

Durante o último semestre, os participantes do Campus Mobile tiveram a oportunidade de participar de um intenso calendário de atividades, incluindo palestras, lives, sessões de mentoria, bancas de apresentação e exercícios de programação, com o objetivo de apoiá-los no desafio de desenvolverem soluções para o segmento mobile que priorizem a tecnologia como ferramenta para a transformação social. Nesta terça-feira (4/5), a maratona chegou ao fim com o anúncio dos seis projetos vencedores da 9ª edição do concurso de inovação e empreendedorismo, nas categorias de Diversidade, Educação, Games, Saúde, Smart Cities e Smart Farms.

Realizado pelo Instituto Claro em parceria com a Associação do Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico (LSI-TEC) da Universidade de São Paulo (USP) e com o apoio do beOn – Hub de Inovação da Claro, pela primeira vez, o Campus Mobile foi realizado de forma 100% virtual e contou com inscrição de 91 soluções e a participação de 198 estudantes e recém-formados, de todas as regiões do País.

O anúncio dos vencedores foi feito após a avaliação da banca final, formada por especialistas do mercado e da Claro, representando as diferentes categorias. Reunidos por videoconferência, os integrantes da banca analisaram os projetos em aspectos como impacto social, inovação, design, usabilidade, acessibilidade e implementação do produto para selecionar os premiados.

“É com muito orgulho que encerramos mais uma edição do Campus Mobile. Estamos muito satisfeitos com o crescimento do programa e com o comprometimento dos participantes, que só aumenta a cada edição. As soluções apresentadas têm grande potencial e provam que a tecnologia é uma importante ferramenta para gerar impacto social”, comemora Daniely Gomeiro, diretora de Comunicação Corporativa e Responsabilidade Social e vice-presidente de Projetos do Instituto Claro.

Cada equipe será premiada com uma quantia em dinheiro, para aprimoramento dos projetos, e uma viagem de imersão ao Vale do Silício (Califórnia, EUA), onde terão a oportunidade de conhecer algumas das maiores empresas da área de tecnologia do mundo.

Conheça os projetos vencedores em cada categoria:

Categoria Diversidade | Katie – Pensado para promover a diversidade e a inclusão, o aplicativo Katie, desenvolvido pela gaúcha Jacqueline Dahmer Steffenon junto com a estudante paulista Laura Rúbia Paixão Boscolo, auxilia pessoas cegas ou com baixa visão em tarefas cotidianas, como reconhecimento remédios ou leitura de embalagens. O programa provê um assistente visual, baseado em inteligência artificial e processamento de linguagem natural, capaz de responder dúvidas sobre objetos capturados pela câmera do celular.

Categoria Educação | Educação + Cuidados de Saúde = – Doença (E+CS=-D) – Na área de educação, mas com funcionalidades que cruzam com o universo da saúde, o Educação + Cuidados de Saúde = – Doença (E+CS=-D) é uma plataforma que traz conteúdos educacionais especialmente desenvolvidos para atuar na disseminação de informações para a manutenção de hábitos saudáveis, cuidados e prevenção de doenças. A iniciativa é de autoria do baiano Darlei Pereira da Silva, da Fundação Universidade Federal do Vale do São Francisco.

Categoria Games | eDraft League – Para os integrantes da comunidade gamer, a dupla de estudantes mineiros Giulio Lelis Souza Castro e Rogério Marques Amâncio Junior desenvolveu o eDraft League, um fantasy game voltado para os aficionados por eSports. Acessando a solução, os participantes conseguem escalar equipes virtuais com jogadores reais de campeonatos de vários eSports diferentes.

Categoria Saúde | BemAli – Criado pelos jovens baianos Antonio Lêvi Pinto de Jesus, Carina Silva de Sá Santos e Fernando José de Jesus Silva, representantes da Faculdade Anísio Teixeira, o aplicativo para smartphones BemAli foi formatado para auxiliar na manutenção da saúde e no dia a dia das pessoas que convivem com algum tipo de alergia ou intolerância alimentar.

Categoria Smart Cities | Fila Digital – Pensado para promover a organização em ambientes urbanos, o app Fila Digital proporciona um sistema para o gerenciamento de filas e atendimentos em geral. Desenvolvida pelos estudantes paulistas Mariana Cavichioli Silva e Lorhan Sohaky, em parceria com a mineira Renata Sarmet Smiderle Mendes, a solução conta com diversos recursos específicos, que podem ser acionados de acordo com as características de cada tipo de negócio.

Categoria Smart Farms | Leiloaê – Para facilitar os negócios no campo, os estudantes paranaenses Marcos Paulo Muniz de Andrade e Pedro Henrique Silveira criaram a plataforma Leiloaê. A solução funciona como um market place e conecta compradores e vendedores de bovinos de todo o Brasil, facilitando as negociações no ambiente digital.

Comentários estão fechados.

Esse site usa cookie para melhor sua experiência Aceitar Leia mais

Nossa Política de Privacidade.