Xbox também é para PC gamers: testei o Xbox Gamepass – confira o que eu achei.

Assine nossa newsletter

Há muito, mas muito tempo eu jogo em PCs. Eu não tenho nada contra consoles é bom que se diga, eu comecei neles aliás, há muito tempo atrás primeiro num Telejogo 2, depois usei um Odissey, um Atari, um Sega Saturno e o meu último console que foi um Nintendo WII.

Eu também frequentava aquelas casas em que você alugava consoles por hora para jogar, uma espécie de avô das lanhouses. Mas conforme o tempo foi passando eu fui me interessando em montar o meu PC gamer e acabou virando um estilo de vida.

Foi com isso que eu naturalmente me desinteressei pelo universo dos consoles. Eu até via os movimentos da Microsoft com Xbox, mas eu sempre pensava que era algo que não era pra mim mesmo. Além disso preciso fazer uma confissão ao leitor: eu me viro super bem com o teclado, mas tenho problemas sérios com os controles, eu realmente não me acostumo mais com os botões.

Quando eu ouvi falar do Xbox Pass foi graças ao pessoal da assessoria de imprensa da marca no Brasil, mas era algo que eu não entendia bem como funcionava ou se aquilo era algo pra mim ou que fazia sentido para os meus leitores. Fora isso eu sabia que era um serviço que você paga uma mensalidade e tem uma biblioteca de games a disposição. Mas será agora era pra mim?

Foi com esse espírito que eu acabei recebendo um convite da equipe de comunicação da Xbox Brasil para testar o Xbox Game Pass. Assim eu escrevi esse texto para você como eu, que é um gamer de PC, e que ainda está em dúvidas para saber se o Xbox é para você.

Como foi a minha experiência com o Xbox Gamepass?

A instalação é bem simples e se você não tiver uma conta Microsoft, terá que criar uma rápido e depois disso usar para o login. Se você já tem um usuário criado para o Windows ou o seu Office dá pra usar esse mesmo login. Feito isso você cairá nessa tela:

Aí então é só ir explorando os games disponíveis e quando eles estão inclusos no seu Gamepass basta instalar o game. Há uma ficha técnica para ajudar você a escolher. Fique de olho no espaço de armazenamento, alguns podem passar os 100gb e dependendo da velocidade da sua internet não vai dar pra jogar na hora. Assim escolha antes e deixe baixando na madrugada.

E em breve você terá uma biblioteca de games disponíveis para jogar no canto esquerdo da tela:

Assine nossa newsletter

Jogando um exclusivo clássico da Microsoft.

Ser um jogador de uma plataforma específica tem alguns percalços, um deles é não ter acesso aos exclusivos. E Halo foi um game que eu sempre tive uma vontade absurda de jogar, seja pela base incrível de fãs ou pela história fantástica criada em torno da franquia. Assim meu primeiro game instalado foi Halo Infinite, uma coletânea de diversos títulos da franquia.

Eu confesso que não gostei muito da dinâmica da gameplay – um pouco repetitiva na minha opinião, mas é inegável que a narrativa dos jogos é incrível e as cutscenes são muito imersivas – em alguns momentos eu parei só pra admirar a paisagem. Depois pesquisando mais eu descobri que nem todos os Halos foram acertos e agradaram a comunidade, mas tive a minha curiosidade totalmente saciada. Finalmente posso dizer que joguei e conheci Halo.

E por falar em clássicos eu também instalei a versão Remaster de Grim Fandango. O leitor mais jovem talvez não saiba, mas os primórdios dos jogos de PC têm diversos games do tipo Point and Click com a solução de puzzles em que a narrativa só avança se você acertar o enigma. E esse game está inacreditável de bom, seja pela história envolvente, ou pelos personagens carismáticos que ainda tem uma dublagem em português que é simplesmente perfeita.

Mas foram muitos outros (que falarei sobre eles em breve aqui no blog): Doom Eternals, Grounded, Psychonauts 2, RESIDENT EVIL 7 biohazard e The Outer Worlds e ainda alguns clássicos em nova roupagem como tais como o Tetris e o Solitaire (conhecido como Paciência). Se eu tivesse que comprar todos os games que eu joguei em dois meses facilmente eu teria gastado mais de R$ 1.000.00.

Mas vale a pena assinar o serviço Xbox Game Pass?

Eu confesso que até experimentar o serviço eu tinha um certo preconceito ou achava mesmo que Xbox não era para mim e sim algo realmente voltado a quem tem o console, mas depois de testar por mais de dois meses o serviço eu posso dizer que eu estava errado. Entre lançamentos, clássicos e indies há várias opções para todos os gostos.

Não foi tudo que eu gostei, claro, Doom Eternal eu achei que não envelheceu tão bem e jogar games de plataforma com teclado nem sempre é a melhor experiência do mundo (aqui e em games de carros eu acho que os controles têm sim uma vantagem), mas de uma maneira geral eu ainda teria uma lista de games para jogar que facilmente chegaria até o final do ano.

Pela quantidade de games que eu baixei e joguei ao mesmo tempo, o custo benefício me pareceu bem interessante e some isso o fato do catálogo agora ter acesso ao EA Play com diversos títulos consagrados disponíveis. E assim que terminar esse texto vou voltar ao mundo dos mortos de Grim Fandango e quando a noite chegar passar uns sustos com Resident Evil 7.

Eu aproveito para agradecer o time de comunicação pela possibilidade de testar o Xbox Game Pass e descobrir um universo de novos games para a plataforma que eu escolhi para jogar =)

Assine nossa newsletter

Comentários estão fechados.

Esse site usa cookie para melhor sua experiência Aceitar Leia mais

Nossa Política de Privacidade.