Cai o uso de chamada voz pelo WhatsApp no Brasil

Assine nossa newsletter

A nova edição do Panorama Mobile Time/Opinion Box sobre uso de apps no Brasil, que entrevistou 1.868 internautas que possuem celular, revela que o uso de chamada de voz pelo WhatsApp no Brasil está em queda. Quando comparada com o resultado da edição anterior da pesquisa, realizada em janeiro, caiu de 65% para 56% a proporção de usuários ativos mensais (MAUs, na sigla em inglês) do WhatsApp que declaram utilizar a funcionalidade de chamada de voz dentro do aplicativo.
A pesquisa também monitora outros serviços de mensageria, como Facebook Messenger, Telegram e SMS. Além disso, aponta um crescimento surpreendente do Instagram depois que ele recebeu recursos de chat.
Pela primeira vez na pesquisa foi medida a popularidade da funcionalidade de publicações efêmeras, que ficam visíveis para os contatos por 24 horas. O Panorama Mobile Time/Opinion Box constatou que pouca gente utiliza este recurso. No WhatsApp, somente 25% dos MAUs. No Facebook Messenger, apenas 7%.
Reação das operadoras faz usuário do WhatsApp usar menos o app
De acordo com os organizadores da pesquisa, a redução do uso de chamada de voz no WhatsApp no Brasil pode estar relacionada ao contra-ataque das operadoras móveis nos últimos tempos, que inicialmente ofertaram – para o segmento pré-pago –  planos com tarifa única para chamadas para quaisquer operadoras (conhecido como “all-net”), o que simplifica a precificação do serviço. Esta estratégia foi adotada por Oi, TIM e Claro há quase dois anos e vem ganhando cada vez mais força. “Depois, e talvez, esta é a iniciativa mais impactante contra o WhastApp, as teles começaram a oferecer voz ilimitada dentro de planos pós-pagos. O movimento parte das mesmas três teles citadas, além de Nextel e Porto Seguro Conecta, e começou justamente no período entre as duas edições da pesquisa”, comenta Fernando Paiva, coordenador da pesquisa e editor do Mobile Time.
Para os organizadores do Panorama Mobile Time/Opinion Box, outra iniciativa das operadoras que pode afetar o uso de ligações pelo Whatsapp no futuro é a oferta de voz sobre a rede 4G, serviço conhecido pelo termo técnico de VoLTE, na sigla em inglês. Trata-se ainda de algo incipiente, lançado por enquanto apenas por TIM e Vivo em poucas cidades e sem interoperabilidade, mas que tende a se popularizar gradativamente. O VoLTE garante chamadas com alta qualidade de áudio e completadas quase que instantaneamente, o que proporciona uma experiência muito melhor que aquela das chamadas de voz sobre redes 2G ou 3G. O problema é que no momento somente os modelos mais caros de smartphones são compatíveis com essa tecnologia e as chamadas VoLTE funcionam apenas entre assinantes da mesma operadora.
Popularidade
Mesmo com o resultado, o WhatsApp continua como o principal aplicativo de comunicação instantânea do Brasil e está instalado em 95% dos smartphones de internautas brasileiros, bem à frente do Facebook Messenger (78%) e do Telegram (14%). Entre aqueles que possuem o WhatsApp instalado, 97% dos entrevistados afirma que o utilizam todo dia ou quase todo dia. Facebook e Telegram apresentam percentuais menores nesse aspecto: 65% e 51%, respectivamente.
Os chatbots: para conversar com as empresas
No WhatsApp, 75% dos MAUs declaram que gostariam de se comunicar com marcas e empresas através do app. No Telegram, são 73%. No Facebook Messenger, 63%. O percentual menor do Facebook Messenger chama a atenção porque é justamente aquele dentre os três serviços pesquisados que mais tem se esforçado em estimular a comunicação entre marcas e consumidores dentro da sua plataforma, incluindo a disponibilização de uma API para a criação de chatbots. O WhatsApp ainda não está aberto para robôs. E o Telegram, embora permita, ainda não foi muito povoado com bots nacionais – a pequena base de usuários desestimula o investimento das marcas.
SMS: nada de novo no front
O Panorama Mobile Time/Opinion Box não identificou qualquer alteração significativa no uso do SMS no Brasil nos últimos meses. O serviço de mensagem de texto através da rede das operadoras celulares continua sendo usado predominantemente para o recebimento de mensagens do que para o envio. A comunicação direta entre usuários, por sua vez, é menos comum neste canal, pois as pessoas estão preferindo os apps over the top (OTT) para essa funcionalidade, como WhatsApp, Facebook Messenger e Telegram.
– 28% dos internautas brasileiros declaram que costumam enviar SMS todo dia ou quase todo dia;
– 55% costumam receber SMS todo dia ou quase todo dia;
– os percentuais sobem para 66% (envio) e 83% (recebimento) quando considerado o uso mensal;
– 58% dos internautas brasileiros declaram que recebem mais SMS de empresas do que de pessoas;
– 17% dizem que recebem em igual quantidade. Além disso, 21% assinam algum serviço de recebimento automático de conteúdo por SMS, pago ou gratuito.
O Panorama Mobile Time/Opinion Box – Mensageria no Brasil é uma pesquisa independente realizada por uma parceria entre o site de notícias Mobile Time e a empresa de soluções em pesquisas Opinion Box. O questionário foi elaborado por Mobile Time e aplicado on-line por Opinion Box junto a 1.868 brasileiros que acessam a Internet e possuem celular, respeitando as proporções de gênero, idade, faixa de renda e distribuição geográfica desse grupo. As entrevistas foram feitas em julho de 2017. A margem de erro é de 2.2 pontos percentuais. O grau de confiança é de 95%. Os dados completos da pesquisa estão presentes em um relatório que pode ser baixado de graça no site www.panoramamobiletime.com.br

Assine nossa newsletter

Comentários estão fechados.

Esse site usa cookie para melhor sua experiência Aceitar Leia mais

Nossa Política de Privacidade.