Economia em crise? Sexo em alta: crise Econômica estimula vendas no setor Erótico

Assine nossa newsletter

A recessão que vem sendo noticiada na imprensa ultimamente está estimulando a procura por brinquedos e cosméticos erótico pelos brasileiros que buscam momentos de prazer com menor custo. Mesmo em tempos difíceis, as pessoas querem se divertir, ser felizes e viver momentos agradáveis sozinhas ou a dois. Isto aconteceu nos Estados Unidos na crise de 2008 a 2012. A recessão realmente beneficiou a indústria de brinquedos do sexo por lá.
“À medida que a economia americana mergulhou na recessão, mais pessoas ficaram em casa e o produto erótico foi uma espécie de investimento para se divertir em casa com economia.”Afirma Paula Aguiar, presidente da ABEME – Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual.
O sexo é o divertimento mais acessível do mundo (pelo menos para a maioria das pessoas) e todos podem recorrer a métodos interessantes para aliviar o estresse financeiro, afinal os produtos no Brasil tem valor bem razoável. Para economizar basta entrar num quarto com alguém especial e se entregar a momentos prazerosos, além disto, é importante também dialogar, aproveitar, explorar novas possibilidades e buscar a felicidade.
A fabricante INTT, especializada em cosméticos eróticos percebeu que a procura por seus produtos aumentaram. “As solicitações de compras de nossos produtos teve um aumento de 25% nos últimos dois meses”. Afirma Alessandra Seitz, diretora da INTT Cosméticos. Neste mesmo impulso caminha a Loja do Prazer, maior sex shop online da América Latina. “Desde o momento que a crise despontou, percebemos um aumento de 15% na procura e compra dos produtos do nosso site”, declara Daniel Passos, proprietário.

Assine nossa newsletter

Comentários estão fechados.