ESPECIAL BLOGS: ainda compensa criar um blog?

Assine nossa newsletter

Se a primeira pergunta que eu mais ouço ultimamente é se Ainda vale a pena anunciar em blogs? a segunda é sem dúvidas se ainda compensa criar um blog.
É claro que a resposta depende de uma série de fatores, mas a principal é: qual é o objetivo que se quer ter com esse blog?
Dinheiro? Fama? Casa na praia? Luxo e ostentação?
Ou
Se expressar? Publicar suas ideias de forma livre? Falar ?
Se essa fosse uma prova do Enem eu diria para você arriscar no segundo grupo de palavras. É sim possível ganhar dinheiro com blogs (falarei sobre isso nos próximos textos desse especial), mas eu sempre quero crer que algumas dessas coisas são consequências e não o fim.
Explicando melhor, para mim e na minha opinião, você escrever sobre algo que é apaixonado vai fazer com que outras pessoas compartilhem com você a sua paixão e a audiência vem.
Há uma linha de especialistas (e também gurus) em marketing digital que defendem a criação de blogs nichados, que tem maior volume de tráfego e várias técnicas mirabolantes que para mim geram produtos digitais sem alma e com conteúdo muitas vezes medíocre feito somente para indexar.
Isso não quer dizer que você não deva escrever para um nicho, mas que não precisa ser tão cartesiano assim.
Desse meio há uma certa cultura de gerar tráfego para venda de anúncios segmentados e que pode envolver até compra de tráfego qualificado onde se paga hipoteticamente R$ 0,10 e se fecha uma venda que a comissão será de R$ 10,00. Bem não é desse blog que eu to falando aqui, mas sim do blog de raiz, daquele criado por um blogueiro que quer blogar.

A história do Blog do Armindo nesse contexto

Eu não vou cansar o leitor com a minha história pessoal nem desse blog, mas acho que ele é um bom exemplo do que estou falando. Final de 2018 completo 5 anos com esse domínio. Como eu sou formado em jornalismo quis ter um espaço para escrever sobre coisas que eu gosto: negócios, tecnologia e cultura geek. Claro que esse plano editorial foi amadurecendo com o passar do tempo, mas essa temática central que abordamos hoje vem assim desde o primórdio do veículo.
Como eu passei a escrever em primeira pessoa e dar muito a minha opinião, aos poucos os leitores foram chegando e criando pontes comigo, seja para concordar o discordar da minha opinião. E aos poucos – bem aos poucos – a coisa toda foi crescendo.
Claro que a minha rede de relacionamentos no mundo digital devido ao tempo que trabalho nesse segmento ajudou bastante, claro que ter trabalhado nas principais emissoras de TV do estado de SP me ajudou demais, mas eu não tenho dúvida alguma em dizer ao leitor que o que põe esse projeto de pé todos os dias e que o trouxe até aqui é a paixão que eu tenho de fazer este que costumo chamar de “humilde morada na internet”. É a minha casinha onde eu escrevo e posto as coisas do meu jeito, com a minha opinião, com as coisas que eu gostei e que eu não gostei. Também escrevo textos com gerúndio e as vezes repito palavras para não ter que usar sinônimos bizarros porque-não-pode-repetir-palavra-muito-próxima. E também escrevo falando. Vários leitores queridos falam que tem a impressão de que eu estou conversando com eles enquanto me leem e esse é sem dúvidas um dos feedbacks que me deixam mais feliz afinal de contas a intenção é essa mesma.

Assine nossa newsletter

Mas qual é a principal vantagem de ter um blog hoje?


A questão é polêmica mesmo para quem atua na indústria de criadores de conteúdo. É o caso de tantos criadores que migraram seus conteúdos para o Medium ou que criam conteúdo somente no Instagram – conhecidos como instabloggers – e o que dizer dos Youtubers que tem centenas de vídeos nos servidores do Youtube?
Por isso que nessa discussão eu fico do lado das pessoas que acham que nada melhor que você ter o seu próprio canto na internet. Você paga sua hospedagem, seu domínio e a plataforma é sua. Claro que tem as despesas de hospedagem e manutenção, mas não há nisso uma única bala de prata que dê jeito em tudo.
Eu fico muito tranquilo em saber que o conteúdo produzido aqui é meu, que fica num banco de dados meu e que eu sou o responsável por tudo aqui.
Então você não está construindo seu castelo num terreno alugado, mas no seu próprio quinhão virtual, aquele byte que te cabe deste latifúndio. Acho que você entendeu.
Eu sempre fico pensando o que acontece se o Youtube fecha as portas, se o Instagram deixa de existir ou se vem uma rede social nova que leva todo mundo embora. Vejo muitos criadores de conteúdo que tem suas principais fontes de renda em plataformas das quais não tem controle algum. Algo de errado não está certo.
Para se juntar aos meus argumentos fica a constatação óbvia que qualquer pessoa que coloca todos seus ovos num cesto corre o risco de ficar sem nenhum ovo. Vem daí que eu não acho que uma pessoa deva largar seu canal na sua rede social favorita, mas que ela deva ter pelo menos um blog em algum cantinho para preservar seu patrimônio de conteúdo e seu vínculo com leitores e fãs.
Se você ainda não está convencido tenho uma última carta da manga para tirar: os blogs são extremamente fáceis de usar. Nada de ficar editando vídeos ou buscando ângulos desconcertantes e caras e bocas para se sobressair numa foto. Você digita um título, escreve seu conteúdo, coloca uma imagem pra ficar bonitinho e bang publica. Um conteúdo que ia demorar horas para fazer em vídeo você demora minutos para fazer num blog. E tempo não só é dinheiro como pode ser a diferença de você conseguir destacar ou não seu conteúdo na internet.

Se você procura a fama, o dinheiro e a casa na praia talvez ela não esteja nos blogs

Não vou mentir ao leitor – não faria isso – a grana mesmo pra valer hoje está no Youtube e no Instagram e conseguir recursos somente com o blog pode ser uma sofrência sem fim. Como eu disse anteriormente não tô dizendo que é impossível, mas preciso alertar que não é tão fácil quanto possa parecer e para cada caso de sucesso há uma dezena de insucessos e blogs que vão ficando no meio do caminho, aos montes.
Agora se você quer fugir dos algoritmos, das regras impostas pelos donos das plataformas e ter um lugar para chamar de seu, ter um blog, para mim ainda é a melhor opção.
Aliás obrigado por visitar minha casa, vou ali com você abrir a porta para que volte mais vezes. Ela está sempre aberta para o seu retorno.

Assine nossa newsletter

Comentários estão fechados.

Esse site usa cookie para melhor sua experiência Aceitar Leia mais

Nossa Política de Privacidade.