Diversão analógica ainda tem espaço no mercado

Assine nossa newsletter

Na contramão dos jogos tecnológicos, o clube de Board game e RPG “Doidos por Dados”, vem resgatando a experiência lúdica e competitiva que só se tem por meio de partidas de jogos cara a cara.

Os jogos analógicos ficaram um pouco esquecidos após os videogames terem tomado conta de todos os espaços, mas o movimento agora é de retomada dos jogos “manuais”. O board game aproxima as pessoas, independentemente da idade ou dos gostos pessoais, na mesa de jogos todos tem um mesmo interesse que é vencer, sejam em jogos cooperativos que precisam trabalhar em grupos, ou jogos competitivos que só um chegará a vitória.
Famílias se juntam dos mais novos aos mais velhos para jogar. “É lindo ver toda essa interação. Na mesa eles esquecem qualquer problema, desentendimento e até mesmo as diferenças” comenta Alexander Mitchell fundador do Clube Doidos Por Dados.
Além dos board games, a casa traz o RPG como carro chefe, esse jogo que foi febre nas décadas de 80 e 90, causou muita polêmica, pois muitos religiosos enxergaram maldade em ver crianças se divertindo criando histórias, personagens lúdicos e mágicos, e passaram a propagar a ideia de que o jogo era satânico. Mas isso não passa de besteira, o RPG é um jogo super didático que estimula a leitura e a imaginação.
O RPG “Role Playing Games” que quer dizer “jogos de interpretação de papéis”, é um jogo aonde os participantes assumem o papel dos personagens e constroem uma narrativa entre si, com isso desenrolam uma história como coautores.
O jogo de RPG é sempre feito por um grupo de pessoas que se dividem entre: jogadores e um narrador. Os jogadores dão vida aos principais personagens da história, o narrador que também é conhecido como mestre de mesa, é quem cria os universos. Ele vai descrevendo como são os espaços e as pessoas vão imaginando, e juntos vão criando uma narrativa para aquela história.
Toda essa interação e parceria, trazem uma série de benefícios sociais para quem joga. Foco, concentração, leitura, e novas amizades são fáceis de se obter através de rodadas do game.
Sobre a Doidos por Dados:
As crianças das décadas de 80 e 90 tiveram muito contato com os jogos de tabuleiros ou “board games”. Os jogos eram uma forma de reunir amigos, familiares e fazer novas amizades em volta de uma mesa ou no chão da sala. Com a ideia de proporcionar novas experiências, além dos jogos clássicos dessa época, tem surgido uma nova geração de jogos. Mais modernos, com novos designers, mais profundos e envolventes, e até melhores que alguns jogos lançados décadas atrás. Há uma nova era de jogos de tabuleiros e a Doidos por Dados vem para representá-la também.
Visando o resgate desse hobby e a falta de um espaço dedicado na cidade, a Doidos por Dados inaugurou no fim de 2017 o primeiro clube 100% dedicado a jogos de tabuleiros e RPG (Role Playing Games). No coração da Vila Mariana, o clube oferece um espaço de diversão acolhedor com os melhores acessórios do mercado.
Um dos pontos que mais atrai o público, é a monitoria explicativa, facilitando o conhecimento e contato com novos jogos. Esse trabalho é de grande importância já que o clube recebe jogadores de todos os níveis, de iniciantes a especialistas.
Para os amantes de jogos de tabuleiro o clube ainda oferece um evento mensal “Caçadores dos jogos perdidos” para quem ainda não tem uma comunidade, ter a oportunidade de conhecer novos jogos e parceiros.
O espaço ainda conta uma lojinha com alguns dos jogos mais disputados da casa, e diversos acessórios do segmento para venda.
Entre os mais procurados e jogados estão: The Game, Parade, Pandemic, Tsuro, Timeline, Jenga,
Kingdomino, Sushi Go e Munchkin

Assine nossa newsletter

Comentários estão fechados.