Veja o que os grande estúdios trouxeram para a CCXP: HBO e Warner roubaram a cena

Assine nossa newsletter

Pelo que eu vi podemos dizer que a nossa ComicCon brasileira está mais próxima dos eventos realizados em outros países. Pelo menos foi o que eu senti ao fazer um tour pelo stand enorme da HBO que trouxe uma série de atrações dignas de eventos mundiais de fãs.

O detalhismo de cada canto chamou a minha atenção de cara. O próprio trono de Game of Thrones, um dos objetos mais cultuados do evento, não é uma réplica feita em fibra de vidro genérica, mas um objeto feito de metal e de fato homologado pela HBO. Dá pra quase dizer que é o mesmo das filmagens.

Mas havia outros espaços igualmente cuidadosos

E lembram que eu falei dos detalhes?

Com a chegada da HBO GO aberta para todos os públicos a empresa também trouxe suas séries exclusivas e num corredor era possível entrar de fato em uma dessas séries.

Aqui nessa parede os mesmos itens usados no set de filmagem

Cada sala tenha um elemento com referências únicas de cada série.

Um dos espaços que mais me chamaram a atenção foi o da série Big Little Lies. No teto havia uma centena de papeizinhos com pequenas mentiras sociais cotidianas. Pensa que alguém teve que escrever, imprimir e fixar tudo isso aí da foto.

Atores com roupas oficiais de personagens famosos de GoT reuniam centenas de pessoas para fotos

E ainda essa atração que de fato colocou o fã dentro de uma cena icônica da série. Toda a tecnologia e inclusive os técnicos foram os mesmos utilizados na ComicCon Nova Iorque. Sim quem esteve lá viu e participou da mesma experiência aqui. Mais uma vez os detalhes imperavam. O ar-condicionado bem gelado e até uma neve artificial no chão faziam parte da atração. Há uma clara preocupação da HBO em mostrar que eles são detalhistas em suas produções. E funciona bem.

No espaço WestWorld Experience você tinha a simulação de todo trajeto para de fato entrar no espaço ficcional da série. Era possível até usar roupas da série e entrar na trama de uma forma tecnológica onde tablets fixados no teto revelavam segredos escondidos na parede em realidade aumentada.

Como o leitor pode perceber eu fiquei impressionado com a estrutura que a empresa trouxe para o Brasil. E para entender um pouco mais sobre isso eu pude falar com o Fernando Del Granado que é CVP de Consumer Marketing da HBO Latin America. “Nossa segunda maior base de fãs de Game of Thrones fica aqui no Brasil e a nossa preocupação foi proporcionar uma grande experiência para os fãs do Brasil. Assim a gente consegue colocar os fãs dentro do show e não só assistindo de forma pacífica o programa”, definiu o Fernando.

Eu também quis entender porque a empresa fez investimentos tão pesados para estar próximo dos fãs num país que tem a economia tão dinâmica por conta do cenário político. Ele me disse que todos os países tem seus altos e baixos e que cabe às empresas lidarem com isso. Ele também falou sobre algumas novidades da empresa para 2018 que falamos neste post exclusivo.

Warner traz artistas do primeiro escalão e foca em experiências

A Warner também apostou pesado trazendo a protagonista do novo filme de Tomb Raider – Alicia Vikander, a nova Lara Croft – para um painel além de quase uma dezena de atrações no seu estande.

Uma exposição trouxe os trajes originais dos personagens da DC

Também era possível encarnar o novo Aquaman de Jason Momoa e olha lá eu fazendo pose.

Outras atrações davam um gostinho de cada show exibido pela Warner e que cativa fortemente o público brasileiro.

E melhor do que falar é ter uma visão de cima do estande e perceber a dimensão da atração.

Para entender um pouco mais sobre os investimentos da marca eu falei com a Silvia Elias que é Diretora de Produções Originais da Turner Brasil. “Já sabíamos da proximidade dos fãs com as séries e esse conhecimento foi potencializado com o advento das redes sociais, que possibilita o diálogo, a interação e a união desses fãs no ambiente digital. Na CCXP procuramos trazer essa afinidade já estabelecida no digital para o mundo real e preparamos três ativações que levasse o público para uma imersão no universo da série e que ele pudesse se sentir como o seu personagem preferido. O brasileiro é conhecido por sua paixão e sabíamos que proporcionando essas experiências os fãs se identificariam ainda mais com o canal que leva o conteúdo favorito para a sala da sua casa”, explicou.
Eu quis entender também sobre a importância do país dentro do mercado global. Sobre isso ela me explicou que “o Brasil é um país com potencial de crescimento de base muito alto, com regiões que estão cada vez mais investindo em TV por assinatura e que já possuí a cultura de consumir cultura pop e, principalmente, assistir televisão. Com isso, entendemos o potencial de produção local com foco em exibição pan-regional cresce e coloca o Brasil como um dos mercados mais importantes do mundo para a Turner hoje”. Confira a entrevista completa neste link. 

Filas e mais filas irritaram os fãs

Durante o evento e também no pós evento as reclamações das filas eram recorrentes. Eu mesmo ano passado fiz algumas críticas sobre o cuidado com os fãs nesses momentos, mas nesse ano tanto Warner quanto HBO fizeram sua lição de casa. As atrações tinha um giro rápido e abrigavam muitas pessoas por ciclo. E filas estarão na Disney World em Orlando ou na ComicCon em San Diego.

E nesse aspecto sendo o maior evento desse tipo no mundo acho que não há uma solução fácil e nem nada que os os estúdios pudessem fazer. Já as empresas maiores que trouxeram apenas estátuas e roupas para foto, quase não tinham fila, porém houve também reclamação dos fãs de atrações “sem graça”.
Então volto a dizer, se você vai na CCXP vai ter fila. E num dia só não dá pra ver tudo e a tendência é só aumentar. E sinceramente não vejo muita luz no final do túnel nesse fator “fila”.

Assine nossa newsletter

Netflix decepciona

Apesar de trazer um dos principais nomes dos painéis –  o ator Will Smith – o estande mesmo da Netflix não empolgou muito, sendo limitado a exposição de trajes e algumas atividades de quizz em parceria com o SBT. Uma empresa que promete e vende uma conexão grande com o público brasileiro parece não ter conseguido criar essa conexão na CCXP.

Justamente num momento onde Amazon Prime chegou com uma política agressiva de preços e HBO GO passa a oferecer assinatura para todo mundo, parece que a empresa deu um passo atrás onde deveria pelo menos demarcar território.

E o Omelete e a organização em geral?

Foram três dias que eu estive na CCXP e em todos os dias eu vi um evento seguro, limpo e com boa infra ao visitante. Muita opção de comida e com filas razoáveis (ah é caro é, mas eles são super tranquilos com relação a levar comida de casa para o lugar) e o tempo todo me senti muito seguro. Há dezenas de pessoas orientandos filas e todos muito bem cordiais e recebendo você de forma amistosa.
Num evento dessa dimensão deve ter um abacaxi ou outro mas para mim e sobre a minha experiência não há o que falar. O evento é bem organizado. Vi nas redes sociais algumas reclamações sobre cancelamentos e sobre a organização divulgar somente em cima da hora alguns nomes e sobre isso eles são bem claros e falam para todos irem para o evento pelo evento – o que pra mim faz muito sentido. Eles estava com um espaço lindão e lives foram realizadas praticamente nonstop de lá.

E um agradecimento especial aos assessores de imprensa e relações públicas por trás da CCXP

Você não os vê de forma aparente mas uma legião de jornalistas e relações públicas facilitam e garantem o trabalho de quem quer trabalhar com conteúdo como é o meu caso. Com eles a gente consegue as informações certas e falar com as pessoas certas para levar ao leitor a melhor informação. Esse nosso especial não seria possível sem o trabalho de vocês que ficaram horas de pé plantados próximos aos seus clientes numa maratona de conteúdo. Meu muito obrigado.

 

Assine nossa newsletter

Comentários estão fechados.

Esse site usa cookie para melhor sua experiência Aceitar Leia mais

Nossa Política de Privacidade.