Corolla Híbrido da Toyota é um carro que usa tecnologia para sustentabilidade

Durante pouco mais de 15 dias eu pude testar o Corolla Híbrido da Toyota do Brasil e como sempre com foco nas questões tecnológicas do carro.

Eu confesso ao leitor que quando ouvi da equipe da Toyota que o carro seria o Corolla eu já logo pensei num carro mais sisudo e clássico e sim trata-se disso, mas não só isso e foi exatamente o que eu senti na primeira entrada do carro – ele tem uma pegada interna descolada bem legal com painéis digitais. Você coloca a chave no bolso, coloca o pé no freio e aperta o botão de ligar. E a partir daí o carro vai acionar uma série de tecnologias – algumas aparentes, e outras nem tanto, que detalharei a seguir.

O que é um carro híbrido?

No início eram os motores de combustão que usam combustível fóssil e limitado e que tem vários impactos ambientais. Então em uma busca de alternativa para uma opção ambientalmente mais sustentável surgiram os motores elétricos que funcionam com baterias que normalmente são carregados na tomada (sim essa tomada que você tem aí na sua casa). Mas esses carros ainda tem algumas limitações, tais como, a autonomia e especificamente aqui no Brasil um problema maior: locais de recarga, que são espécies de totens que você para o carro para carregar. Em algumas capitais na Europa já fornecem até esse carregamento de graça nas ruas – para você ver o quanto estamos longe disso.

E aí então como o leitor já deve supor existem os híbridos que operam tanto no elétrico quanto no combustível. No caso do Corolla Híbrido você pode colocar etanol, gasolina e deixar que o próprio carro carregue a bateria – assim ele não precisa de uma tomada ou um carregador.

Mas como isso acontece? Quando você usa o carro ele meio que desperdiça várias formas de energia, quando você freia o carro, por exemplo. Aí entra a inteligência da Toyota: o carro pega essa energia e usa para carregar a bateria.

O segredo todo está numa espécie de cérebro do carro que usa um processador (muito grosso modo parecido com o que você tem no seu celular) que toma decisões inteligentes sobre como o carro faz essa gestão de combustível. Assim conforme você vai dirigindo vê no painel do carro o que está acontecendo, demonstrando qual motor está em uso (elétrico ou combustão) ou ainda quando o carro está carregando a bateria. No mesmo painel dá pra ver quantos por cento da bateria está carregada (sim igual o seu celular).

Trocando tudo em miúdos: você abastece e deixa que o carro cuide do resto, tomando as melhores decisões por você a cada segundo.

Visitando o Parque Capivari em Campos do Jordão com o Corolla Híbrido.

Eu escolhi para meus testes uma viagem de um final de semana em Campos do Jordão por vários motivos. Além de ser relativamente perto de casa tem trechos de Serra, muito morro, muita curva. Perfeito para testar as tecnologias do carro.

Além disso fomos muito bem recebidos pelo Parque Capivari que gentilmente nos deixou colocar o carro em alguns lugares específicos para foto. O local passa por um novo momento com uma experiente empresa de gestão de empreendimentos turísticos (o mesmo grupo que cuida de Foz do Iguaçu) e tem feitos melhorias no local que conta com pedalinhos e teleférico, além de estacionamento próprio e no momento uma feirinha com lojas e restaurantes instalados em containers, tudo seguindo os padrões de segurança exigidos na fase verde da pandemia do Governo do Estado de São Paulo.

E o carro deu conta da Serra? Sim, incrivelmente sim! Eu achei que por ser um sedã ele sofreria um pouco nas subidas, mas nós fomos até o Morro do Elefante numa subida muito cheia de morros e curvas e o carro dá conta do recado com folga. Se ninguém te falar que está num híbrido você não notará a diferença. Além disso, a viagem dentro do Corolla é muito confortável seja pelos ajustes de bancos ou pelo isolamento acústico que o carro tem.

O carro possui uma tecnologia de segurança muito interessante. Uma espécie de câmera ligada na frente do carro o tempo todo faz uma leitura de tudo que está acontecendo e ajuda na hora que você liga a direção assistida (você determina uma velocidade e ele vai freando e acelerando para você) e até lendo as faixas da rodovia para saber se você está dentro dela e emitir um aviso caso você saia dela. Legal né? Esse sistema também pode te ajudar a avisar e até tentar prevenir uma colisão frontal. Isso leva a experiência de dirigir a um novo patamar. E no nosso caso nos permitiu ir mais longe para tirar essa bela foto num dos pontos turísticos mais visitados de Campos do Jordão.

E depois de tantos lugares bacanas nosso almoço foi no Cacerola em Campos do Jordão ( Av. Dr. Januário Miraglia, 2594 – Jardim Jaguaribe, Campos do Jordão fone: (12) 3662-1398) que serve comida argentina de qualidade na cidade. Pedimos uma parmegianna que veio muito bem servida e com um queijo bem torradinho em cima e também um prato da casa chamado “Churrascada” – uma chapa quente de metal com várias carnes e fritas, pra sobremesa um alfajor feito pela casa e acredite bem diferente do que você imagine. As porções são generosas e o atendimento feito pelos proprietários de forma bem atenciosa.

A conectividade criando sinergia entre o carro e o telefone.

Devidamente alimentados foi hora de testar toda a conectividade do carro. Basta você conectar o Bluetooth – com um pareamento bem simples – e o carro fica em sintonia com o seu celular. Dá pra ouvir suas playlists do Spotify e foi o que fizemos. O sistema de viva-voz tem um som claro e funciona conforme esperado.

Eu sempre gosto de deixar tudo no automático seja o ar-condicionado, seja o sistema de faróis e aqui também tudo funcionou a contento. Se você ligar o farol alto na estrada e vier um carro na direção contrária ele vai abaixar para você. Eu gosto muito do conceito de carros que tomam decisões por você e aqui o Corolla Híbrido mandou muito bem.

Na hora de jantar fomos recebidos no muito bem montado Querença da Serra (Av. Dr. Januário Miraglia, 2510 – J Jaguaribe, fone: 12 3664-2379) , com um generoso fondue onde você passa pelas opções de queijo, carne e chocolate até se sentir satisfeito. A surpresa deliciosa ficou por conta da goiabada com o fondue de queijo. Vale a pena experimentar.

Foi lá que eu aproveitei também para ver as fotos e imagens capturadas no dia com o meu HP Probook 445.

E depois de dormir na cidade, aproveitamos um passeio de manhã e então a hora de voltar. O consumo do carro durante toda viagem ficou em 13,1/Km por litro.

Você pode definir seu estilo de direção nos botões disponibilizados perto do câmbio, e, deixando no modo eco, evidentemente ele fica mais econômico. O painel muda de cor de acordo com a sua escolha.

Mas seria possível dirigir 100% do tempo usando o modo elétrico? Na cidade em tese sim, porém não é tão simples porque você também precisa ajustar seu jeito de dirigir evitando grandes pisadas no acelerador e mantendo uma velocidade na faixa dos 50Km. Com isso com certeza o consumo vai para outro patamar. Do que eu pude entender, é uma parceria entre o motorista e o carro para o melhor consumo energético possível e lembre que sempre você terá que ter combustível para que o carro consiga carregar a bateria.

Mas a sustentabilidade do carro é pra valer?

Essa bateria pode acabar um dia? De acordo com a montadora ela foi feita para durar a vida útil do carro. Mas e se der algum problema ou num acidente ela precisar ser trocada? A empresa garante que faz todo caminho reverso para o descarte correto da bateria.

Trata-se de um carrão! Bonito ao primeiro olhar por fora e o painel digital com o sistema de entretenimento de bordo dão um ar bem descolado no carro. É bem cool ver o sistema de gestão de energia do carro em ação com todas as suas cores. A curva de aprendizagem de como as coisas funcionam é bem simples e a há muito mais tecnologia em ação fazendo coisas por você do que dê para perceber de cara.

Trata-se portanto de uma excelente opção para quem quer ter contato e conhecer mais das possibilidades dos motores elétricos, sem perder o melhor do que o motor a combustão tem a oferecer.

Agradecimentos.

Eu aproveito para agradecer a Toyota do Brasil, sua equipe de comunicação e marketing pela confiança. Também agradeço aos Parque Capivari e empresários de Campos do Jordão que nos receberam tão bem.

Protocolos de segurança.

Eu a minha esposa Juliana que fizemos todo esse material, quando um dirigia o outro fazia as imagens e vice-versa. Nós seguimos todos os protocolos de segurança exigidos pelos governo do Estado e todo nosso equipamento de gravação foi devidamente higienizado. Nas fotos sem máscaras eu estava em local aberto, isolado e mantendo distanciamento de todos ao redor.

Comentários estão fechados.

Esse site usa cookie para melhor sua experiência Aceitar Leia mais

Nossa Política de Privacidade.